Idalina Perestrelo acompanhou uma das acções da 6ª campanha municipal de vacinação antirrábica

A vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal, Idalina Perestrelo, esteve ontem presente na Junta de Freguesia de São Gonçalo, para acompanhar uma das acções da 6ª campanha municipal de vacinação antirrábica gratuita para animais com mais de três meses de idade, e que este ano tem a novidade de abranger gatos. Esta campanha arrancou no passado sábado, nas freguesias de São Pedro e do Imaculado Coração de Maria, sendo exclusiva para os residentes de cada freguesia.

Idalina Perestrelo explica que “em virtude da crise sanitária em curso, a campanha será realizada com fortes medidas de segurança, mas o Município não podia deixar de efectuá-la, na sequência do sucesso que se tem verificado com este projecto desde 2017, e daquilo que as pessoas nos continuavam a pedir. Entendemos, por isso, prosseguir com aquilo que tínhamos planeado, nomeadamente com o alargamento a felinos a partir deste ano”.

As cinco primeiras campanhas, que além da vacinação, incluem a identificação com microchip, o registo no SIAC, a desparasitação interna (contra lombrigas e ténias) e o respectivo licenciamento na junta de freguesia (quando aplicável), percorreram todas as freguesias do concelho e permitiram vacinar até hoje um total de 2699 animais domésticos, não apresentando quaisquer custos para os seus detentores.

Idalina Perestrelo reforça que “a autarquia continua empenhada em criar condições para que todos os munícipes possam vacinar e identificar os seus animais de forma gratuita, com o objectivo de assegurar a cobertura da profilaxia antirrábica dos animais domésticos e um maior controlo da existência destes no Funchal, sendo que a inclusão de gatos pela primeira vez é digna do maior registo, respondendo aos apelos que nos vinham a ser feitos pela população ao longo dos últimos anos, e passando ao patamar seguinte da estratégia que temos vindo a implementar”.

A autarca, que tem o pelouro da Causa Animal no concelho desde 2013,  lembrou ainda que “até termos começado este trabalho, em 2017, com colaboração das Juntas de Freguesia do concelho, nunca nada do género havia sido feito no Funchal, no sentido de ajudar os portadores de animais domésticos a garantir os direitos dos mesmos. Nestes três anos de terreno, a recetividade das pessoas e a consistência da adesão têm sido notáveis, e não é por acaso que já vamos a caminho dos 3000 animais vacinados”.

“Chegámos a muitos portadores de cães que, pela primeira vez, foram sensibilizados para os hábitos anuais que têm de ter com os seus animais, e promovemos activamente a colocação do chip e o registo dos animais, o que passou a ser obrigatório por lei. É isso que continuaremos a fazer agora também com gatos, marcando a posição sempre presente da autarquia no domínio da Causa Animal, mesmo num ano como aquele que temos vivido”, concluiu.