Sara Madruga da Costa insatisfeita com a redução das verbas do POSEI

A deputada na Assembleia da República, Sara Madruga da Costa, reuniu com a Associação de Agricultores da Madeira para delinear uma estratégia comum e uma posição de força contra a recente intenção da União Europeia de cortar, em 3,9%, as verbas do Posei para as Regiões Ultraperiféricas. “Um retrocesso inadmissível que o Governo da República deve contestar”, afirma.

“Portugal não pode aceitar este retrocesso da União Europeia, que vem prejudicar a agricultura e os agricultores das Regiões Ultraperiféricas, como é o caso da Madeira e é aqui que exigimos, da parte do Governo da República, uma posição firme e esclarecedora contra aquilo que se considera um grave e inaceitável corte nos apoios a esta atividade”. A afirmação é da deputada Sara Madruga da Costa que, ontem e após reunir com a Associação de Agricultores da Madeira, deixou claro que o PSD irá pressionar o Executivo de António Costa a contrariar o corte de 3,9% nas verbas do POSEI, anunciado pelo Conselho de Agricultura da União Europeia no passado dia 21 de Setembro.

“Numa altura em que temos o Primeiro-ministro e o PS a apregoar milhões de euros alegadamente a chegar da União Europeia para a recuperação económica do País, não é justo nem aceitável que existam cortes em relação à agricultura e aos agricultores das RUPs, neste caso da Madeira, tanto mais quando estes agricultores, mesmo durante o confinamento, nunca pararam de produzir”, disse, na ocasião, a social-democrata.

“Na Assembleia da República iremos pressionar e levar este assunto até às últimas instâncias, junto do Governo da República e, em particular, do Primeiro-Ministro e da Ministra da Agricultura (…)”, prometeu.