Painel Serológico Nacional Covid-19 ainda com vagas para voluntários do Funchal

O Painel Serológico Nacional COVID-19, promovido pelo Instituto de Medicina Molecular, com o financiamento da Sociedade Francisco Manuel dos Santos e do Grupo Jerónimo Martins, ainda tem vagas em 36 municípios, um dos quais na Madeira, para voluntários que queiram fazer teste serológico gratuito e contribuir para um estudo nacional sobre o vírus.

Para este estudo, eram necessários 215 voluntários da Madeira, do município do Funchal. Neste momento ainda há vagas para a faixa etária abaixo dos 18 anos. Para as restantes faixas etárias, a amostra na Madeira ficou completa em menos de uma semana.

Este será o primeiro painel serológico para a COVID-19 de cobertura nacional alargada, que permitirá dotar Portugal, e também a comunidade científica, da mais completa avaliação já realizada sobre a prevalência da infecção no país.

O objectivo do estudo é determinar a proporção da população portuguesa que desenvolveu anticorpos contra o vírus SARS-CoV-2, permitindo estimar a prevalência da infecção, através da realização de testes serológicos gratuitos, nos postos do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa, empresa parceira deste projecto, a uma amostra de 12 mil voluntários, distribuídos pelas diferentes regiões e grupos etários. Seis meses após o início da pandemia, é agora crítico conhecer o retrato da COVID-19 que permitirá ajudar o país a equilibrar os esforços necessários à retoma social e económica com a protecção da vida.

Segundo Maria Manuel Mota, Directora Executiva do iMM, “Este financiamento pela SFMS e pelo Grupo JM é de enorme importância para viabilizar o reforço das actividades COVID-19 do iMM e projectá-las no futuro, quer através da monitorização do estado serológico, quer na investigação clínica que permitirá compreender melhor a doença, por exemplo, o que distingue biologicamente indivíduos assintomáticos dos casos ligeiros e dos mais graves.”.

Para José Soares dos Santos, Presidente Executivo da SFMS, “o contexto difícil que vivemos, do ponto de vista sanitário, social e económico, exige o envolvimento de todos. Nesse sentido, a SFMS não poderia deixar de apoiar uma instituição que tem desenvolvido um trabalho fundamental para o país aprofundar o conhecimento sobre o vírus SARS-CoV-2. Antecipando o impacto do Outono/Inverno, acreditamos que a realização de testes serológicos é essencial para obtermos um retrato da incidência da COVID-19, em Portugal, que permita tomar decisões mais informadas para a contenção da doença”.

Pedro Soares dos Santos, Presidente do Grupo Jerónimo Martins, destaca “a importância estratégica deste estudo enquanto instrumento de suporte ao planeamento e à tomada de decisões, nomeadamente ao nível de empresas cujos negócios implicam, pela sua natureza, uma muito maior exposição dos colaboradores ao risco de infecção, como é o caso do Pingo Doce ou do Recheio, empresas que nunca pararam, mesmo durante as fases mais críticas da epidemia”. Alavancando na cobertura nacional e na capilaridade da sua rede, o Pingo Doce junta as suas lojas ao esforço de divulgação e angariação de voluntários para o estudo.

Os voluntários poderão inscrever-se através do registo num website (www.painelcovid19.pt) onde irão encontrar toda a informação relevante.

Para mais informação sobre o estudo, encontra-se disponível uma linha de apoio com o número 808 100 062.

Contactos para mais informações:

Maria João Soares, Comunicação SFMS, e-mail: mjsoares@jlma.pt; tlm: 914237487

O iMM – Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes é um instituto de investigação privado e sem fins lucrativos cujo objectivo é promover a investigação biomédica básica, clínica, e de translação. Fundado em 2002, o iMM estabeleceu-se como um instituto de investigação biomédica competitivo em termos nacionais e internacionais. A estratégia tem sido definida por um aumento constante centrado na excelência, e na investigação de alto impacto, apoiada sempre por recursos humanos de alta qualidade. Um ambiente vibrante onde todos – investigador, pessoal técnico e administrativo – contribuem para o sucesso da instituição, apostados na criação de novos conhecimentos que terão impacto na saúde humana, refere um comunicado.