PSD recomenda investimentos “inadiáveis” em Santa Luzia e São Pedro

Os deputados do PSD na Assembleia Municipal do Funchal apresentaram na sessão de hoje, uma proposta de recomendação ao executivo para a realização de investimentos considerados inadiáveis nas freguesias de Santa Luzia e de São Pedro.

São eles “a ampliação e reabilitação do Centro de Convívio de Santa Luzia, dotando a infraestrutura das melhores condições para a utilização dos seus utentes, a repavimentação da Rua Pedro José de Ornelas, em toda a sua extensão, a requalificação do Bairros dos Moinhos a nível de acessibilidades, redes de água e saneamento básico, a protecção dos moradores do Bairro dos Moinhos, via instalação imediata de rede/ sistema de combate a incêndios e a reabilitação do prédio da confeitaria Felisberta, na freguesia de São Pedro”, refere uma nota.

Na intervenção realizada no período antes da ordem do dia, José António Rodrigues recordou que “o executivo à Câmara Municipal do Funchal lançou em 2020 uma iniciativa de “Presidências Abertas”, sob o mote “O Funchal que nos Une”, com o objectivo de “ir ao encontro de toda as entidades que estão ao serviço do interesse público municipal”, bem como de avaliar os investimentos no espaço público e as obras de beneficiação a serem realizadas em cada freguesia, a curto e médio prazo”.

O autarca recordou também que, “em virtude da não aprovação, em Assembleia Municipal do Funchal, da proposta de Orçamento para 2020 apresentada pelo executivo camarário, está, por conseguinte, presentemente em vigor e execução o último orçamento aprovado pelo supra-referido órgão, nomeadamente o Orçamento de 2019, que preconiza um total de cerca de 97 milhões de euros”.

De acordo com o grupo municipal do PSD, “parte significativa dos 97 milhões de euros previstos para 2019 eram destinados a intervenções públicas que, em virtude do decorrer de 2019 já terão, por ventura, sido realizadas ou parcialmente implementadas, pelo que estes montantes já não serão afetos a essas mesmas intervenções”. Face a esta realidade, José António Rodrigues afirma que “se pode concluir que o executivo municipal tem excedentes financeiros disponíveis para aplicar em outras intervenções”, como aquelas que foram hoje referidas pelos social-democratas.

A recomendação foi aprovada, contando com a abstenção do presidente da Junta de Freguesia de São Pedro.