TSD elegem primeira Comissão Concelhia no Porto Santo

Foto PSD

Foi na Ilha do Porto Santo que os Trabalhadores Sociais Democratas elegeram, nesta semana que agora acaba, a primeira Comissão Política Concelhia, cumprindo-se, desta forma, aquele que era um dos objetivos traçados pelo Presidente da Estrutura, Amílcar Gonçalves.

Segundo uma nota de imprensa, trata-se de uma extensão que se pretende fazer chegar a todos os concelhos da Região – e que veio a ser possível à luz dos novos Estatutos aprovados – que visa, acima de tudo, “reforçar a presença, a abertura à sociedade e o apoio dos TSD/M aos trabalhadores, independentemente do local onde estes se encontram”, afirma Amílcar Gonçalves, que não tem dúvidas de que “se este acompanhamento já era antes essencial, agora, nesta fase, é fundamental”.
“Quando temos trabalhadores que se encontram em regime de Lay-off, quando há muitos que perderam os seus empregos ou que se encontram em risco de perder e quando temos muitas outras realidades em causa resultantes desta pandemia, no que respeita às relações laborais, é evidente que não podemos deixar de cumprir o nosso papel enquanto estrutura e de prestar todo o apoio que nos seja possível nesta fase, numa recuperação que deve ser feita com todos”, sublinha o Presidente dos TSD/M, sendo esta eleição um importante passo nesse sentido.
Na Ilha do Porto Santo, prossegue, “temos mais de meia centena de trabalhadores Sociais Democratas prontos a ajudar e a colmatar as necessidades que lhes forem reportadas e é também essa a razão pela qual existimos”, reforça Amílcar Gonçalves, satisfeito com a eleição desta Comissão Política e já de olhos postos nas próximas a formalizar.
Refira-se que a Comissão Política Concelhia dos TSD Porto Santo tem como Presidente Rui Manuel Correia Melim e Vice-presidente Carlos Manuel Santos Gama, sendo vogais Maria Rita Santos Oliveira, José Antonio do Nascimento Oliveira e Angelina da Paixão de Oliveira Melim.
Alargar o leque de apoio ao maior número de trabalhadores, adaptar a estrutura às exigências do mundo laboral atual e promover a inclusão de novos elementos, concretamente mais jovens, mantêm-se como prioridades desta estrutura.