Sindicato dos Professores defende isenção da componente letiva a partir dos 60 anos

O Coordenador do Sindicato dos Professores da Madeira (SPM), Francisco Oliveira, foi hoje ouvido na Comissão de Educação, Desporto e Cultura da Assembleia Regional sobre a Petição Pública intitulada “Pela aprovação de medidas que combatam o desgaste e o envelhecimento dos docentes na RAM”.

O dirigente sindical apontou, como consta de uma nota publicada na página do Parlamento, “o desgaste da classe docente, com repercussões na qualidade do ensino, para sugerir ao parlamento madeirense quatro medidas: a concretização da lei da pré-reforma na Região; que os professores possam optar pela isenção da componente letiva a partir dos 60 anos; uma redução da componente letiva para os professores do primeiro ciclo e do pré-escolar e ainda a redução da componente letiva para os professores com doenças crónicas.

O dirigente do SPM mostrou-se preocupado com o futuro do ensino em Portugal, e em especial na Região. Apontou estudos que referem que “57% dos professores estão em stress laboral”.

Na Madeira, referiu, “a média de idades dos professores do setor público ronda os 50 anos”. Por isso Francisco Oliveira afirmou “que compete a esta câmara (Assembleia Legislativa da Madeira) refletir sobre isto e encontrar soluções”. “Ou se faz alguma coisa ou a Educação terá graves problemas em breve”, concluiu.