Escola Horácio Bento cria projeto interativo que prepara os alunos para o ensino secundário

A EB 2, 3 Dr. Horácio Bento de Gouveia, neste contexto de ensino à distância, está a dinamizar mais um projeto com a turma 9.º 3, designado  «Ensino secundário, ensino secundário quem pode escolher se não eu?», coordenado pelo docente Rómulo Neves, com vista a uma escolha mais consciente e informada sobre o ensino secundário.

Segundo uma nota informativa remetida ao FN por Rómulo Neves, este projeto surge nas aulas de Formação Pessoal e Social e divide-se em três fases:

1) o docente apresentou as matrizes curriculares e as diferentes opções do ensino secundário na RAM;

2) os alunos, em trabalho de pares, reúnem mais informações sobre um determinado curso ou oferta formativa de uma escola e apresentam aos colegas, seguindo a metodologia «Think, Pair, Share»;

3) os Encarregados de Educação, agrupados por áreas, convidados pela turma juntam-se à aula online e respondem a um conjunto de questões, nomeadamente:

  1. a formação académica – o que estudaram no secundário e/ou no superior?
  2. a profissão que desempenham – resumo das principais tarefas
  3. a satisfação atual com a escolha efetuada – repetiriam a mesma formação, teriam feito algo diferente?
  4. futuro – continua a ser uma profissão que vale a pena investir no século XXI – continua a sentir-se falta dessa formação no mercado de trabalho? Que saídas existirão com essa formação académica em 2030? Que desafios poderão surgir para “atualizar” a profissão?

Esta semana o tema escolhido foi a ‘Justiça no Futuro’ e contou com a presença de três Encarregados de Educação que representaram, ao lado dos seus educandos e a partir das suas casas para toda a turma, profissões relacionadas com a Justiça.

Como docente responsável pela iniciativa, Rómulo Neves, destaca “as possibilidades que este ensino à distância também abre às escolas, a oportunidade de aproximar e envolver os Pais no processo de ensino-aprendizagem dos filhos e em levar a Escola para fora do saber académico, relacionando o que se ensina/aprende com a realidade fora do ‘manual escolar. A Escola do século XXI vai neste sentido, promove novas competências, descobre novos caminhos, aplica o ensino à prática e aproxima-nos, porque Juntos somos mais fortes! E sim é possível, mesmo a partir de um computador e a distância, a educação não pára e vai certamente ficar tudo bem”.