ABAMA queixa-se de estragos causados pelos ventos fortes e critica Humberto Vasconcelos

A ABAMA – Associação Produtores da Banana da Madeira, veio hoje manifestar publicamente a sua “apreensão e preocupação com os ventos muitos fortes que assolaram a costa sul da ilha da Madeira, este fim de semana; derrubando e destruindo grandes quantidades de bananeiras, canas de açúcar, hortícolas e muitas variedades de frutícolas”.

A ABAMA diz-se preocupada com o sector da banana, “pois ainda estamos a recuperar do temporal 2018, do qual muitos dos associados ainda não receberam qualquer ajuda pelos prejuízos sofridos. Não queremos ser os ” patinhos feios” do sector primário , pois já basta o que a GESBA faz no Verão, enviando para a Meia-Serra parte da banana por nós produzida, deixando-a apodrecer em cima da terra, prejudicando o agricultor que pouco recebe pelo seu trabalho e o consumidor final que fica impedido de conseguir um preço mais acessível”.

O presidente da associação, Antonino de Abreu, que assina o comunicado às Redacções, refere que só quem não trabalha sol a sol é que pode ficar indiferente a este desperdício. A ABAMA lamenta ainda que o secretário regional da Agricultura, Humberto Vasconcelos, não tenha ainda vindo a público manifestar preocupação ou insatisfação sobre estes prejuízos, para “depois lamentar-se para a comunicação social que a banana acumula-se no porto de Lisboa, onde os responsáveis pela gestão da GESBA nomeados pela sua secretaria, assobiam para o lado, sem tomarem as devidas medidas. Basta de fazer troça dos agricultores! Justifiquem aquilo que o erário publico lhes paga”, exige a ABAMA.