Núcleo Regional da Liga Contra o Cancro completa hoje 33 anos de existência

O Núcleo Regional da Madeira da Liga Portuguesa Contra o Cancro completa hoje 33 anos de existência. Uma data assinalável, e em que a Liga aproveita para traçar um pouco da sua história, em nota enviada à comunicação social.

A nível nacional e sob proposta do Prof. Doutor Francisco Gentil, a 4 de Abril de 1941, foi fundada legalmente (portaria n.º 9772) a Liga Portuguesa Contra o Cancro, que faz este ano 75 anos de existência, assente em dois princípios fundamentais: a Humanização e a Solidariedade.

“Se no seu início a Liga procurou suprir as carências do Estado em matéria de financiamento do tratamento do cancro, angariando fundos para custear tudo o que à doença dizia respeito – desde equipamento hospitalar, à roupa de cama do hospital, hoje assiste-se a uma situação diferente”, refere a nota. “Com o passar dos anos a Liga passou a mobilizar os seus recursos financeiros para iniciativas mais orientadas para a prevenção do cancro e apoio à investigação da doença, nunca descuidando o apoio ao doente. Assim, nos diversos Núcleos da Liga assistiu-se ao desenvolvimento de um plano de ensino e sensibilização da população sobre os sinais de alerta e prevenção do cancro continuamente mais estruturado e descentralizado a nível comunitário”.

“Em 1986, o Dr. Camacho de Freitas iniciou contactos junto da LPCC em Lisboa, no sentido de ser criado o Núcleo Regional da Madeira. Foi sugerido o nome da D. Maria de Lourdes Sá Fernandes por esta ter exercido voluntariado no IPO de Lisboa. Aceite o convite, foi indigitada pela Liga Nacional para formar na Madeira o Núcleo Regional da Liga Portuguesa Contra o Cancro em reunião do dia 29 de Dezembro de 1986. Desde então já tivemos várias direcções superiormente encabeçadas pela Dr.ª Teresa Tomé e pela D. Isabel Veiga França”, refere o comunicado enviado às Redacções.

Foi assim que surgiu e cresceu o Núcleo Regional da Madeira com a missão de agir na promoção da saúde, na prevenção do cancro e no estímulo à formação e investigação em oncologia.

Actualmente, o NRM da LPCC possui uma sede, na Rua Elias Garcia, uma Casa da Liga no Hospital Dr. Nélio Mendonça, uma Delegação no Porto Santo, uma Delegação em Machico e uma Delegação em Santana. Existem também grupos de voluntários na Calheta e no Porto Moniz.

“O facto de hoje existirem cada vez mais sobreviventes de cancro constitui um prémio e um incentivo para continuarmos a fazer mais e melhor na justa medida das nossas capacidades e a contribuir para o apoio a doentes e familiares que a doença tanto fragiliza”, refere Ricardo Sousa, presidente da direcção do núcleo madeirense da Liga.

“Agradeço a dedicação, o envolvimento, o profissionalismo e o compromisso dos órgãos sociais do NRM – LPCC, dos funcionários, dos sócios e dos voluntários que ao longo destes 33 anos tornaram a vida de muitos doentes e famílias um pouco melhor. Agradecemos ainda a todas as entidades públicas e privadas pela generosidade e colaboração. Termino citando duas frases, em jeito de desafio e de objectivo para todos nós, que tem acompanhando sempre esta direcção: Juntos somos mais fortes! Juntos vamos vencer!”