Jorge Carvalho enalteceu aposta na ciência no âmbito do Projecto Macaronight

O secretário regional de Educação, Jorge Carvalho, participou ao início da tarde de hoje, na abertura do Projecto Macaronight – Noite Europeia do Investigador da Macaronésia, um evento que decorrerá até final do dia no Centro Comercial ‘La Vie’, no Funchal.
A iniciativa reúne investigadores da Madeira, dos Açores e Canárias, e visa divulgar a ciência, tecnologia, investigação e inovação desenvolvidas na Macaronésia.
Na oportunidade, Jorge Carvalho salientou os esforços da Região, junto dos alunos dos diversos ciclos de ensino obrigatório, no sentido da criação de condições favorecedoras da aproximação, em espaço curricular e extracurricular a estas áreas, refere um comunicado oficial.
“No 1º ciclo do Ensino Básico foram e certamente continuarão a ser criados e dinamizados diversos clubes dedicados à Robótica”, referiu, acrescentando que “essa aposta só é possível com a criação de condições essenciais à prossecução dessas e de outras atividades, designadamente no plano dos equipamentos”. “Também por essa razão”, considerou, “foi feito um investimento na renovação do parque informático das escolas, para além da entrega de kits de Robótica às mesmas”.
De seguida, referindo-se ao caso específico do 2º ciclo do Ensino Básico, o responsável pela pasta da Educação fez questão de sublinhar “a importância da digitalização de boa parte dos processos de ensino-aprendizagem, através da entrega, a todos os alunos de 5º ano da rede pública, de um tablet em que se encontram instalados os manuais escolares digitais”.
“Nos próximos anos lectivos, esses alunos continuarão a usar o seu tablet, estando simultaneamente assegurado que todos os que vierem a aceder ao 5º ano continuem a ter igual acesso, pelo que em poucos anos teremos todos os alunos de 2º e 3º ciclos cobertos por esta medida”, disse.
Depois de assumir que as principais responsabilidades da secretaria regional de Educação estão centradas na escolaridade obrigatória, Jorge Carvalho destacou que “a Região tem investido igualmente em estratégias de especialização inteligente, fomentando e sendo parceira de iniciativas diversas no plano da investigação e inovação”.
“A despesa da Região em IDT, era em 2012, de cerca de 11,9M€, tendo subido, de acordo com os dados do INE, para 16,7M€, em 2017, condição que permitiu a ultrapassagem, em percentagem dos respetivos PIB, das regiões do Algarve e dos Açores, tornando-se a quinta região do país em termos de intensidade de IDT+I” referiu.
Jorge Carvalho destacou ainda que “os anos do governo representaram um período de recuperação da actividade de IDT+I na RAM, que passou de pouco mais de 547 mil euros de volume para quase 8M€. O número de investigadores apoiados em tempo integral passou de quase zero para mais de 150, a grande maioria jovens altamente qualificados que encontram nas unidades de investigação apoiadas pela ARDITI oportunidades para continuarem as suas carreiras na RAM”.
“O propósito de aproximar a ciência e a investigação do público em geral, merece toda a nossa atenção, tanto mais que a Universidade da Madeira tem uma presença significativa neste evento, através dos departamentos das áreas da Ciência, Tecnologia, Engenharia e da Matemática, bem como do Observatório Oceânico da Madeira, do  Instituto de Tecnologias Interactivas, do Museu de História Natural da Madeira e da Estação de Biologia Marinha” declarou, antes de finalizar cumprimentando e desejando votos de sucessos aos participantes.