Cafôfo propõe entendimento entre a oposição para formar um Governo de mudança na RAM

O cabeça de lista do PS-Madeira nestas eleições regionais lançou hoje um repto aos partidos da oposição, para que se unam e viabilizem um governo encabeçado por si. Perante uma moldura de militantes socialistas reunidos na Praça de Colombo, no Funchal, que gritavam “nós só queremos Cafôfo a presidente”, aquele que foi o principal adversário de Miguel Albuquerque nesta disputa eleitoral apelou a isso mesmo: a que o deixem sê-lo.

“O desafio é este, o desafio que o PS propõe naquilo que foram os resultados eleitorais: criar uma base de entendimento com os partidos da oposição, e podermos fazer, realizar e concretizar a mudança. Fica aqui o desafio a todos os partidos da oposição na nossa Região”, concretizou. Propôs “uma solução de consenso” e que “garanta a estabilidade governativa”.

“É nisso que nós acreditamos, é por isso que vamos continuar a lutar”, prometeu, perante os aplausos dos presentes. “A luta não acaba aqui: continua, na defesa dos madeirenses e portosantenses e de uma maior qualidade de vida na nossa terra”, declarou o candidato, terminando: “Viva a Madeira”.

No seu discurso, o orador justificou esta ambição com o facto de o PS ter tido nestas eleições um resultado histórico, o melhor de sempre do Partido Socialista na Madeira. Por esse facto, agradeceu “a todos quantos confiaram em nós”.

Porém, reconheceu que o PS não foi o partido mais votado, não deixando de felicitar o PSD e o seu líder e candidato, Miguel Albuquerque, por ter conseguido esse feito.

“Chegámos ao fim de um ciclo político. Chegámos ao fim de um poder absoluto. Isso foi algo que ganhámos, que conquistámos (…)”, declarou. “E há aqui uma posição muito clara: a esmagadora maioria da população não votou no PSD”.

“É por isso que eu não desisto de mudar a Madeira!”, explicou. “Ficou bem expressa uma vontade de mudança da população, ao não darem a maioria absoluta ao PSD”.