Câmara do Funchal combate abandono animal com campanha de verão que começa a 29 de julho

CMF animaisanimais CARTAZ CampanhaComeça segunda-feira, 29 de julho uma campanha sde sensibilização para o abandono animal. Numa época particularmente sensível, em pleno verão, onde esse abandono ganha maior dimensão, a Câmara do Funchal decidiu levar a efeito esta iniciativa

Será a 1ª campanha municipal contra o abandono animal, subordinada ao tema «Seja diferente, diga NÃO ao abandono.» “Ao longo de um mês, em pleno Verão, a Autarquia vai, assim, desencadear mais de uma dezena de ações com vista a sensibilizar toda a população para a mudança de comportamentos relativamente a este flagelo no campo da Causa Animal que é, infelizmente, recorrente a cada ano”, explica a Vice-Presidente da CMF, Idalina Perestrelo.

Os pontos altos da campanha, segundo uma nota da Autarquia “serão uma caminhada para cães no dia 30 de julho, terça-feira (18h), entre a Praça da ASSICOM (rotunda do Enforcado) e o Jardim da Ajuda, onde terá depois lugar uma aula canina, e uma campanha de adoção para animais promovida pelo Canil Municipal da Vasco Gil, em locais distintos da cidade. A campanha vai decorrer durante três dias entre as 9h30 e as 12h, nos seguintes locais: a 30 de julho, no Largo do Município; a 31 de julho no Largo do Chafariz; e a 1 de agosto na Placa Central, em frente ao Golden Gate”.

Nestes dias, “estará estacionada nos respetivos locais a carrinha de transporte de animais da CMF, onde estarão disponíveis para adoção animais do Canil Municipal, acompanhados por diversos elementos do Departamento de Ambiente da CMF, que vão aproveitar a ocasião para sensibilizar a população nalgumas das principais artérias da cidade”

Até 25 de agosto, a Autarquia preparou, ainda, vídeos de sensibilização para diversas plataformas, publicidade fixa no espaço público com mupis, lonas e cartazes, e ações de proximidade nos edifícios camarários, como no Departamento de Ambiente e na Loja do Munícipe.

A vereadora Idalina Perestrelo reitera que “a edilidade vai, mais uma vez, apostar no trabalho de campo no âmbito da Causa Animal, com esta abordagem pedagógica, que é mais uma forma de afirmarmos na nossa comunidade os direitos dos animais e os deveres a que estão sujeitos todos os seus portadores”.