Pareceres garantem que a Região pode ter “ferry” todo o ano por 3 milhões para 104 viagens, revela o JPP

Armas
O JPP teve acesso aos pareceres da Autoridade da Mobilidade de Transportes.

“Os pareceres da Autoridade da Mobilidade e Transportes comprovam que os 3 milhões de indemnizações compensatórias permitiriam que um operador marítimo fizesse a ligação ferry, entre a Madeira e Portimão, semanalmente, durante todo o ano, num total de 104 viagens (52 em cada sentido), com um lucro justo”. Esta foi a conclusão a que chegou o partido Juntos Pelo Povo, que veio a público divulgar os indicadores que vão nesse entido da viabilidade, remetendo pormenores para os pareceres da AMT, já disponíveis no site do partido.

Estes pareceres, que o JPP afirma ter tido acesso “após solicitar documentação aos respetivos governos, que só a cederam mediante ordem do tribuna”, foram transmitidos ao Ministério do Mar e ao Governo Regional”.

Os documentos, segundo o JPP,  “mostram que o atual concurso permite que o operador esteja a ser sobrecompensado nos valores das indemnizações compensatórias muito acima do razoável, num evidente prejuízo para os dinheiros públicos. Ao analisar os documentos, pode-se verificar que a compensação por milha náutica no modelo atual, operado pela Empresa de Navegação Madeirense do Grupo SOUSA, cobre 97,4% do custo médio do trajeto, isto é, apenas com as indemnizações compensatórias o operador conseguiria reverter o valor quase integral do custo da operação”.

O partido, a este propósito, refere que no seu site dispõe de toda a documentação que pode ser consultada  em https://juntospelopovo.pt/pareceres-confirmam-3-milhoes-garantiam-ferry-todo-o-ano/