Galeria Anjos Teixeira acolhe a partir de 10 de maio exposição de desenho de Francisco Simões “Ousadia do Traço”

A Galeria Anjos Teixeira acolhe a primeira exposição do escultor Francisco Simões na Região Autónoma da Madeira.

Na exposição estarão expostos vários desenhos de Francisco Simões.

A inauguração ao público da exposição, será dia 10 de maio, pelas 19h, na Galeria Anjos Teixeira, à Rua João de Deus, n.º 12 no Funchal.

Biografia de Francisco Simões

O escultor Francisco Simões recebeu o Prémio Lusofonia 2018, na categoria Escultura. Francisco Simões teve uma importante passagem pela Madeira como professor e personalidade da cultura.

Francisco Simões concluiu, em 1965, o curso da Escola de Artes Decorativas António Arroio. Foi bolseiro da OCDE em Roma, Turim, Novara, Verona e Milão em 1967 e em 1968 trabalhou no Museu do Louvre convidado por Germain Bazin.

O escultor Francisco Simões chegou à Madeira em 1969 e nesse ano foi professor no seminário diocesano. Entre 1972-75 foi o primeiro diretor da escola da Ribeira Brava levando a cabo um inédito programa pedagógico que foi reconhecido como inovador após o 25 de abril pelo Ministério da Educação.

Francisco Simões foi ainda professor na Francisco Franco, diretor da escola da Calheta em 1974-75, membro da comissão instaladora do Museu da Quinta das Cruzes, juntamente com Jorge Marques da Silva e com António Aragão e responsável pela FAOJ (Fundo de Apoio aos Organismos Juvenis) na região, em coautoria com diversos escritores portugueses. Em 1974, concluiu o curso de Escultura da Academia de Música e Belas Artes da Madeira.

Esteve ligado à educação das artes, como professor e depois assessor de vários ministros. O escultor, caracteriza-se por ter obras realizadas em íntima ligação com grandes escritores, como David Mourão-Ferreira. Tem exposto regularmente, individual e coletivamente em Portugal e no Estrangeiro. Tem executados meia centena de Monumentos e obras de Arte pública de que se destacam as presentes no Parque dos Poetas, em Oeiras, as suas esculturas e painéis de mármore “Mulheres de Lisboa”, na Estação do Metropolitano do Campo Pequeno, em Lisboa e os bustos de Vieira da Silva e de Arpad Szenes, na Estação do Metropolitano de Lisboa do Rato.

O seu nome foi atribuído, em 1996, à Escola Secundária do Laranjeiro, hoje Escola Secundária Francisco Simões.