Médico Rafael Macedo diz na Assembleia que a Radioterapia é útil mas deve ser utilizada de forma regrada

Rafael Macedo quando chegava ao Parlamento. Foto Rui Marote

A radioterapia é muito útil mas deve ser utilizada de forma regrada, defendeu o médico Rafael Macedo, que já está na Assembleia a ser ouvido na comissão sde inquérito ao funcionamento da Unidade de Medicina Nuclear. Reafirma, também, que a resposta da Quadrantes chega a ser de 8 meses para resultados dos exames, o que é demasiado para doentes oncológicos.

O deputado Eduardo Jesus questionou o médico sobre o que se passava com os utentes quando não havia este serviço de Radioterapia na Região, antes de 2009 e que hoje é assegurada pela Quadrantes, ao que Rafael Macedo respondeu sublinhando, por insistência da presidente da Comissão, Fernanda Cardoso, eram enviados para o Continente mas em número reduzidos, admitindo que convém ter cá na Madeira a instalação, com Eduardo Jesus a concluir que a existência do serviço na Região minimiza o sofrimento dos doentes. O que me incomoda é fazer Radioterapia sem o seguimento adequado”.

O deputado social democrata, antigo secretário regional do Turismo, referiu que foram feitos 5500 exames na Madeira desde 2009 e 2018, só possíveis no privado e não disponíveis no público, com o médico a referir que nesses não correspondem apenas a radioterapia.

O médico Rafael Macedo, que protagonizou um diferendo com o Serviço Regional de Saúde, na sequência declarações prestadas em programa da TVI onde denuncia a existência de um subrendimento da Unidade de Medicina Nuclear do SESARAM, com o consequente recurso ao privado para a execução de exames, voltou a garantir que está habilitado para fazer 63 tipos de exames

O responsável por aquela unidade é o primeiro a ser ouvido pela comissão, que amanhã já tem .audições marcadas com o diretor clínico da Clínica do grupo Joaquim Chaves Saúde, bem como com os diretores dos serviços de Hemato-Oncologia e Endocrinologia do SESARAM.

Esta manhã, na sua página pessoal na rede social Facebook, Rafael Macedo escrevia que julgava estar “bem preparado” e dizia estar a contar com “o vosso apoio nem que seja à distância, vejam em direto o site da Assembleia”.

Entretanto, a comissão já definiu as audições para sexta-feira, 22 de março, pelas 11 horas, o diretor clinico do Serviço de Medicina Nuclear do Centro Clinico da Fundação Champalimaud, Durval Campos Costa. E pelas 15 horas, ouve diretor do Serviço de Reumatologia do

SESARAM – Serviço de Saúde da RAM, E.P.E,, Dr. Mário Rodrigues.