Muita gente na inauguração da exposição “Imagens e Memória do Concelho da Calheta”

Foto DR.

Foram muitos os que se associaram à cerimónia de inauguração da Exposição “Imagens e Memória do Concelho da Calheta” que, neste sábado, teve lugar na Galeria de Exposições Temporárias do MUDAS. Museu de Arte Contemporânea.

Uma iniciativa resultante da parceria entre o Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira e o MUDAS. Museu, sob a chancela das Comemorações alusivas aos 600 Anos do Descobrimento das Ilhas da Madeira e Porto Santo.

Uma mostra que, dando a conhecer as memórias antigas do concelho, através de imagens e documentos que dizem respeito a todas as freguesias “é, sem dúvida, um convite ao recordar e ao redescobrir da nossa história, quer junto dos que ainda se lembram destas imagens, na primeira pessoa, quer junto dos que, pela sua idade, não viveram estas experiências mas devem conhecê-las, enquanto parte do seu passado”, sublinhou, na ocasião, a Secretária Regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, que se mostrou altamente satisfeita com a adesão ao evento.

“Estas comemorações (600 Anos) cumprem o seu verdadeiro propósito quando assumem este envolvimento, esta participação ativa e, acima de tudo, esta partilha com a população”, reforçou a governante, acrescentando que é, também, através destas iniciativas que se promove “a defesa da nossa memória coletiva e a sua preservação, de geração em geração”.

Destacam-se, nesta Exposição, fotografias de alguns aspetos do património edificado e da arquitetura da época, já desaparecidos, mas também pormenores de igrejas e capelas, cenas do quotidiano rural e paisagens.

Da documentação exposta destaca-se o treslado da carta de D. Manuel I que torna vila o lugar da Calheta, com o nome de Vila Nova da Calheta, uma reprodução cedida ao ABM pelo Arquivo Nacional da Torre do Tombo.

As imagens apresentadas são provenientes da Coleção Fotográfica do ABM e do acervo da «Photographia Museu Vicentes» e os conteúdos da exposição são da autoria de Jorge Valdemar Guerra, o grafismo de Leonardo Vasconcelos e as traduções de textos da responsabilidade de Liliana Pestana e Maria da Cunha Paredes.

Acresce referir que está Mostra estará patente ao público, na Galeria de exposições temporárias do MUDAS. Museu de Arte Contemporânea, até ao próximo dia 14 de abril.