Auditoria revela perdas de 1,2 mil milhões na Caixa Geral de Depósito, Berardo é “um dos grandes devedores”

A Fundação Berardo obteve créditos de 267 milhões de euros.

Uma auditoria feira à Caixa Geral de Depósitos (CGD), entre 2000 e 2015 permitiu verificar perdas de 1,2 mil milhões de euros em 46 grandes financiamentos concedidos. Segundo refere o dinheiro vivo, “os maiores prejuízos foram provocados nos empréstimos concedidos à la Seda e aos empresários Manuel Fino e o madeirense José Berardo.

A mesma publicação aborda os 46 créditos que “geraram imparidades (perdas assumidas com os empréstimos concedidos) no valor de 1,2 mil milhões de euros, focando, relativamente a José Berardo como aparecendo na lista dos maiores devedores. “A fundação do empresário obteve créditos de 267 milhões de euros. O banco público assumiu prejuízos de 124 milhões com esses financiamentos. Além dos empréstimos à Fundação Berardo, a CGD emprestou ainda dinheiro à Metalgest, uma das outras sociedades do empresário. O banco público assumiu perdas de 28 milhões de euros em empréstimos de 52,5 milhões.”