“Se um diretor geral da TAP na Madeira for para resolver os preços, é bem vindo, se for para criar mais um cargo não vale a pena”, diz Pedro Calado

Calado Startup
Pedro Calado esteve presente na abertura do Tourism Innovation Challenge, evento promovido pela Startup Madeira e o Turismo de Portugal,

Hoje, não basta formar empresas, é preciso empreendedorismo e alguma inovação. Foi isso mesmo o que Pedro Calado transmitiu ao mercado empresarial no âmbito na na abertura do Tourism Innovation Challenge, evento promovido pela Startup Madeira e o Turismo de Portugal, que decorre no hotel Four View Monumental. Onde a TAP, à margem, mereceu uma reafirmação crítica sobre os preços praticados.

Pedro Calado relevou o papel do Turismo para a Madeira e disse que é importante haver uma concentração no que é realmente decisivo, sublinhando que “problemas existem em toda a parte, há cancelamentos em todos os aeroportos” e apontando que “o que é preciso, em situações de cancelamentos, é encontrar condições de aeroporto alternativo para dar respostas às situações”.

Relativamente ao anúncio do administrador não executivo da TAP, no âmbito da audição na comissão parlamentar de inquérito à gestão da companhia, na Assembleia Regional, sobre a intenção, por parte da transportadora, de nomear um diretor geral na Madeira, baseado no Aeroporto Internacional Cristiano Ronaldo, como forma de aproximar a companhia aos passageiros afetados por situações de cancelamentos, quer as operacionais quer as ocorram por via do mau tempo, Pedro Calado diz desconhecer qual a intenção e soube a notícia pela comunicação social, apesar dessa ter sido, como disse Bernardo Trindade no Parlamento Madeirense, uma decisão saída da reunião do conselho de administração, que teve lugar há alguns meses na Madeira.

“Se for mais um cargo para ocupar algum lugar, não é necessário. Todos sabemos onde estão os problemas da TAP, que são os preços praticados. Se for para resolver isso, muito bem. Sempre dissemos isso à TAP e já falámos nos preços há mais de dois anos. E se essa figura vier para resolver problemas, ótimo”.

Quanto ao subsídio de mobilidade, Pedro Calado diz ser desnecessário “criar mais ruído”, acentuando que “a posição da Madeira, unânime, logo com o apoio de todos os partidos, ainda está na Assembleia da República, onde o PS, que na Região votou a favor, em Lisboa votou contra. A situação é esta. E sem falar nos preços da TAP, não vale a pena falar de plafond de subsídio de mobilidade”.