JPP está preocupado com falta de assistentes operacionais na área da Saúde

O JPP mostrou-se hoje preocupado com a falta de assistentes operacionais, uma problemática que afecta a Saúde na Região Autónoma da Madeira (RAM).

“A Secretaria Regional [da tutela] diz que está aberto concurso para 39 operacionais, no entanto entre 2015 e 2017 saíram 74 operacionais, o que significa que ainda existe um défice de 35 elementos para compensar as saídas que ocorreram”, referiu o deputado Paulo Alves, esta manhã, em conferência de imprensa junto ao centro de saúde de Câmara de Lobos.

Por isso, o JPP vai recomendar ao Governo Regional a contratação de mais assistentes operacionais para o SESARAM – Serviço de Saúde da RAM – através do agendamento de um projecto de resolução na Assembleia Legislativa da Madeira.

Paulo Alves salientou a necessidade de “colmatar esta lacuna que afecta a população que necessita de recorrer aos serviços do SESARAM”. Além disso, provoca “uma sobrecarga de trabalho aos assistentes operacionais que estão actualmente a assegurar os serviços”.

Aliás, frisa o partido, o próprio SESARAM reconhece esta necessidade, conforme registo no Relatório de Actividades e Gestão (31 Dezembro de 2017), onde se pode ver que houve um decréscimo de assistentes operacionais. “Esta diminuição não significa que deixaram de ser necessários profissionais destas áreas, muito pelo contrário. Há uma evidente carência de profissionais principalmente nas carreiras de assistentes operacionais”, pode-se ler na página 73 do referido documento.

“Não basta construir novos centros de saúde e equipá-los com material. É também fundamental assegurar a contratação de recursos humanos, nomeadamente assistentes operacionais”, realçou o deputado do JPP.