Rui Barreto criticou compensações absurdas a bananicultores e localização de investimento polémico na piscicultura

O dirigente centrista Rui Barreto abordou esta tarde, na Ponta do Sol dois assuntos da actualidade, nomeadamente a polémica em torno do investimento na piscicultura, cuja instalação está prevista para muito perto da praia da Ponta do Sol, e as compensações aos produtores de banana que ficaram com as suas produções danificadas na sequência dos temporais de Março deste ano.
O presidente do CDS lembrou declarações de Miguel Albuquerque que, a 6 de Março deste ano, prometeu apoiar em 80 por cento os agricultores que sofreram prejuízos nas suas produções de banana, na sequência dos temporais ocorridos na Ponta do Sol, Câmara de Lobos e Ribeira Brava.
Rui Barreto, na companhia da vereadora do CDS naquele município, Sara Madalena, disse que é “absolutamente lamentável, é mesmo uma vergonha”, haver produtores a receberem cheques no valor de 17 euros para pagar os prejuízos que tiveram na produção de banana.
“A palavra que foi dada aos agricultores não está a ser cumprida”, explica o líder do CDS. “Os agricultores e produtores de banana estão a ser enganados. Aquilo que o CDS pede ao secretário da Agricultura é que saia do estado de hibernação ou de férias e assuma os compromissos prometidos em Março.”
A 6 de Março deste ano, ainda os prejuízos não estavam contabilizados e o presidente do Governo Regional garantia perante a comunicação social “pagamento a fundo perdido até 80 por cento do valor dos prejuízos”. Já neste mês de Agosto, a revolta voltou aos agricultores, depois de o Executivo ter enviado ofícios com os valores a pagar. Um dos casos mais mais conhecido é o de uma mulher que vai receber apenas 17 euros pela perda de 80 bananeiras.
Rui Barreto disse estranhar, aliás, o silêncio do Governo Regional nesta matéria, mas também em relação à polémica em torno do projecto de piscicultura – que já originou uma manifestação contra o investimento na vila da Ponta do Sol.
“Não é verdade que as jaulas serão colocadas a duas milhas marítimas da costa”, afirma Rui Barreto, insistindo que o secretário da Agricultura foi “mal assessorada e mentiu” nesta questão, pelo que já devia ter vindo a público esclarecer se irá “manter o projecto em frente à praia da Ponta do Sol e da forma como está previsto”.
O líder regional reafirma que o CDDS “é a favor do investimento” mas entende que deverá ser estudada outra localização para o projecto. “O próprio administrador da empresa responsável pelo investimento já admite deslocar as jaulas, só falta o senhor secretário abandonar a sua zona de conforto ou as férias e vir responder aos agricultores e aos pontassolenses.”