Presidente do PSD-M diz que o partido vai vencer os socialistas em 2019

O presidente do PSD, Miguel Albuquerque, reuniu com militantes do Monte e São Gonçalo, para lhes dizer, que, apesar da “estratégia deliberada” do governo da República para constranger a Madeira, e apesar do quadro de “bipolaridade política” na Região, o partido “vai vencer” os três combater eleitorais do próximo ano.

“Temos um quadro de bipolaridade política na Região, que não é nada de novo para nós, mas que temos de perceber que há uma estratégia deliberada neste momento por parte do poder central, no sentido de utilizar os poderes do Estado para constranger os madeirenses nos diversos dossiers que estão pendentes”, disse Miguel Albuquerque durante o encontro com os militantes.

O objectivo, disse, é gerar descontentamento e tentar levar o Partido Socialista a ganhar as eleições. “Obviamente que isso não vai resultar, porque os madeirenses e os porto-santenses são pessoas inteligentes e sabem qual é a estratégia que está subjacente a toda esta parafernália que temos assistido”, afirmou Albuquerque, convicto.

“Iniciamos um novo ciclo no próximo ano que resultará em três eleições: as europeias, as regionais e as legislativas nacionais. E o nosso grande objectivo é vencê-las as três”, concluiu.

No Monte, o líder do PSD ouviu as queixas do secretário da Junta de Freguesia local. Agostinho Baptista exigiu que a Câmara Municipal do Funchal “respeitasse a população do Monte e fizesse de imediato a transferência dos 30 mil euros que estão em dívida do orçamento municipal para Junta de Freguesia”.

“Faço um apelo ao presidente da Câmara Municipal que respeite a Junta de Freguesia do Monte, independentemente das cores políticas, e que faça as transferências do valor em dívida”, disse Agostinho Baptista, explicando que os 30 mil euros referem-se ao montante acumulado até Março passado.

Ainda assim, continuou, com o pouco valor que a Junta de Freguesia do Monte dispõe, tem tentado gerir da melhor forma. “Uma coisa que não faltamos, é com as limpezas que estavam no nosso caderno de encargos. Estamos a fazê-las enquanto aguardamos estes valores da Câmara Municipal.”