Menos doações de alimentos nos últimos dois anos leva Banco Alimentar a reforço de comunicação

AF_Imprensas_BA_Meios_01AF_200x147_CMVTVGO Banco Alimentar está já a preparar as duas grandes campanhas que leva a efeito anualmente, reforçando o que tem sido o seu trabalho, com discrição, ao longo de todo o tempo “na melhoria na qualidade de vida das pessoas e famílias mais vulneráveis”.

Numa nota onde refere que “nos últimos dois anos, as doações de alimentos têm decrescido drasticamente”, O BA aponta, no entanto, que o mais importante é “reforçar a comunicação com a sociedade civil, fazendo apelo à sua participação, seja em voluntariado, seja em doação de alimentos”.

A mesma nota recorda que “ao longo do ano, o Banco Alimentar, de acordo com a Carta dos Bancos Alimentares, realiza a sua acção com discrição, mas de forma incisiva, como o demonstram as cerca de 300 toneladas de excedentes alimentares que em média foram recolhidas ao longo de 6 anos de actividade, num total aproximado de 1800 toneladas.”

Neste sentido, o Banco Alimentar propõe aos parceiros um maior apoio neste momento de maior visibilidade pública do seu trabalho, precisamente através das duas campanhas anuais, saco a 1 e 2 de junho, nos supermercados, e online e vale de 2 a 10 de junho.

 

O BA reforça, assim, e em termos de comunicação, que “a Marca Banco Alimentar privilegia os dois momentos em que ocorrem as suas duas campanhas anuais de recolha alimentos para se aproximar dos cidadãos e dar a conhecer o seu trabalho, bem como mobilizar a sociedade civil para a sua participação cívica, naquele que é o maior movimento de cidadania activa em Portugal (cerca de 40 mil voluntários na luta contra a fome, entre os quais 2 mil da Região)”.