Dia da Abolição do Tráfico Transatlântico de Escravos

 

A Real Associação da Região Autónoma da Madeira assinala, a 24 de março, o Dia Internacional da Abolição do Tráfico Transatlântico de Escravos.

O Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH) www.direitos-humanos.com assinala a efeméride também na Madeira, de forma simbólica, no próximo dia 24 de Março, pelas 17h30, no Jardim Panorâmico do Funchal (São Martinho).

O programa consistirá num “jogo” de capoeira, sendo que, o enquadramento do referido jogo vem respeitar a sua origem com os fugitivos da escravidão no Brasil, que utilizavam frequentemente a vegetação rasteira para fugirem do encalço dos capitães-de-mato, como os primeiros capoeiristas.

Posteriormente no período colonial, os negros disfarçaram a capoeira introduzindo-lhe mímicas, danças e músicas. Tudo isso serviu para resistir à repressão da Polícia Imperial e da Milícia Republicana.

A capoeira foi uma prática proibida no Brasil até 1930, tendo sido reconhecida como um símbolo da identidade brasileira.

É pertinente sublinhar que atualmente a capoeira se tornou não apenas uma arte ou um aspeto cultural, mas também numa verdadeira exportadora da cultura brasileira para o exterior, o que levou a UNESCO a declarar que a Roda da Capoeira passasse a Património Cultural Imaterial da Humanidade.