PSD questiona promessas da CMF no que concerne às propinas dos estudantes

O PSD emitiu uma nota de imprensa dando contas de que o deputado municipal social-democrata, Bruno Melim, questionou esta manhã o executivo da Câmara Municipal do Funchal sobre a aplicação de valores relativos às bolsas de estudos para os estudantes do Ensino Superior, insistindo no “não cumprimento da promessa” por parte do edil funchalense.

“Sabendo quem planeou, não temos a certeza de quem executará o orçamento”, sublinhou Bruno Melim, durante a discussão do Orçamento, deixando no ar que a proposta da autarquia só terá execução efectiva em ano de eleições regionais numa “óptica propagandista de quem é incapaz de gerir a espuma dos dias e se vende a lógicas político-partidárias”.

Sublinhando a lógica da defesa das pessoas e dos jovens que legitimamente pensaram que votar Coligação significaria prosseguir os estudos no ensino superior, Bruno Melim notou que a inscrição de 400 000€ no orçamento de 2018 não chega para pagar as propinas de 10% dos estudantes universitários da cidade do Funchal. “São necessários 5 milhões, e nem em 2019 a Confiança propõe este valor.”

O PSD questionou também que destino será dado ao novo empréstimo que será contraído pela CMF à banca no valor de 3 milhões de Euros. “Qual é o destino que será dado a este financiamento”, interroga-se o partido, nomeadamente no que toca à reabilitação urbana, à habitação social, ao programa ‘Amianto 0’ ou à Felisberta.