Idalino diz que tem apelado ao Governo para “ter cuidado” com a obra na Escola do Porto Santo e com o esclarecimento da comunidade escolar

idalino-vasconcelos
Idalino Vasconcelos tem vindo a sensibilizar o Governo Regional para “a urgência do arranque das obras da Escola Secundária e após a validação do visto do Tribunal de Contas, da necessidade de uma sessão de esclarecimento à comunidade educativa “.

O presidente da Câmara Municipal do Porto Santo não foge ao tema relacionado com as obras na Escola B+S Dr. Francisco Freitas Branco, no Porto Santo. Trata-se de um assunto “quente”, que já vinha provocando um clima de tensão entre Governo e anterior vereação camarária liderada por Menezes de Oliveira. Para Idalino, há dois pontos pioritários: a comunidade educativa deve ser esclarecida e a obra é “fundamental para a atual e para as futuras gerações”.

Idalino Vasconcelos, que ganhou as eleições de outubro pelo PSD, diz-se atento ao que o Governo, também PSD, está a pensar fazer com a obra, necessária, na Escola, onde o processo de retirada do amianto regista o facto mais relevante em termos de saúde pública, para mais em contexto escolar, com sensibilidade que o mesmo encerra. Os trabalhos estão previstos para arrancar em janeiro, o Conselho Diretivo já veio anunciar alterações para fazer face ao início do processo, como seja a transferência do 2º ciclo para escola do Farrobo.

Idalino refere o âmbito de “pontes de entendimento com o Governo Regional”. para lembrar que tem vindo a “sensibilizar para a urgência do arranque das obras da Escola Secundária e após a validação do visto do Tribunal de Contas, da necessidade de uma sessão de esclarecimento à comunidade educativa da forma como se irá processar toda a obra e a atividade normal letiva”. A sua principal preocupação, diz, “é o entrosamento da atividade escolar e dos seus profissionais e alunos com a reconstrução e todas as suas tarefas inerentes”.

Anuncia, em declarações do Funchal Notícias, que tem “encetado contatos nesse sentido, em especial, com o Sr. Secretário Regional de Infraestruturas e Equipamentos (SRIE), Eng. Amílcar Gonçalves a apelar para o cuidado que o Governo deve ter com esta obra e para o necessário esclarecimento adicional à comunidade neste processo por forma a criar as melhores condições de trabalho aos alunos, aos professores e aos funcionários”. E por isso, com essa procura de entendimento e de diálogo, diz que, nessa obra que vai arrancar, por fases, tem a “certeza que será dada a garantia dessa premissa e será a concretização de um desejo da população, no geral, e da comunidade educativa, em especial”.

O presidente da autarquia afirma compreender que “todas as grandes mudanças causam alguma inquietação, neste caso, junto dos atores da escola, mas as perturbações que eventualmente possam advir da obra de profunda remodelação da nova escola, nomeadamente, a passagem do 2.º Ciclo, para a “Escola do Farrobo”, a alteração de horários de professores, funcionários e alunos, entre outras, serão inferiores ao benefício que acarretará com a obra concluída e tem a plena convicção que todas as situações tenham sido devidamente planeadas no que concerne à própria obra per si, pelos técnicos da SRIE, em especial, a desmontagem das placas de fibrocimento com cuidados especiais que será feita por uma entidade competente”.

Idalino Vasconcelos reafirma que “esta é uma obra fundamental para a atual e para as futuras gerações, bem como para a sociedade porto-santense”. Reforça que “a educação é uma função extremamente importante e todos os investimentos feitos nesta área devem ser encarados como mais-valias para a população”, daí que “o investimento na construção da Escola Básica e Secundária Prof. Dr. Francisco de Freitas Branco seja um investimento de retorno para o futuro do Porto Santo, motivo pelo qual o edil se congratula com o arranque dessa obra fundamental”.