Novo terminal de cruzeiros com ‘mão’ madeirense inaugurado hoje em Lisboa

Com a presença do primeiro-ministro, António Costa, a LCT-Lisbon Cruise Terminals inaugurou hoje a nova gare do terminal de passageiros.

Trata-se de um investimento privado de 24 milhões de euros que pretende colocar Lisboa no mapa das rotas mundiais de cruzeiros.

O edifício do terminal é da autoria do arquiteto Carrilho da Graça.

Recorde-se que, este ano, mesmo sem o novo terminal em pleno, Lisboa foi distinguida com o prémio de Melhor Porto de Cruzeiros da Europa, nos World Travel Awards Europe 2017.

Infografia LCT.

Refira-se que o Grupo Sousa tem 30% do capital da sociedade LCT que tem a concessão do terminal de cruzeiros de Lisboa.

O grupo madeirense é mesmo o único sócio português do consórcio internacional. Os outros são a Global Ports, da Turquia, a Royal Caribbean, dos EUA e a Creurs de Barcelona, Espanha.

As estimativas indicam que, até 2029, a nova gare de cruzeiros de Lisboa deverá ter um impacto directo e indirecto na economia superior a 100 milhões de euros.

A construção do novo Terminal de Cruzeiros, hoje inaugurado, teve início em Outubro de 2015.

Diz a LCT que o novo terminal é “uma interpretação contemporânea do estilo de vida vibrante de Lisboa”.

Luís Miguel Sousa é o presidente da ‘Lisbon Cruise Terminals’.

Com uma área aproximada de 13.800 m2, o terminal tem plena representação das autoridades competentes, bem como a oferta de serviços turísticos, lojas e serviços de restauração para o conforto de todos os visitantes, passageiros e tripulação.

A flexibilidade e a acessibilidade das operações são dois dos principais critérios do edifício, com o objetivo de aumentar o número de visitantes e passageiros de cruzeiros à cidade de Lisboa.

A nova infraestrutura tem capacidade para receber 1,8 milhões de passageiros/ano e um cais com 1.490 metros de comprimento com capacidade para receber navios de vários tipos e dimensões com um calado até 12 metros.