JPP denuncia más condições de trabalho no Atalaia Living Care

 

O JPP esteve, esta manhã, junto ao Atalaia Living Care, instalações que pertencem à rede de cuidados continuados do SESARAM, para denunciar as condições de trabalho dos profissionais que ali exercem funções.

“O Atalaia é conhecido por ser um bom espaço, quer para os profissionais, quer para os utentes, mas infelizmente não existe um número suficiente de enfermeiros, auxiliares ou outros técnicos a prestar serviço a estes utentes. Temos um enfermeiro e uma auxiliar, para dar banho a 18 utentes, no turno da manhã, e a 33 utentes no turno da tarde. É impossível para cumprir com os cuidados que são necessários”, realçou a deputada Patrícia Spínola, mostrando preocupação pelo desgaste físico a que estão sujeitos os trabalhadores.

De acordo com a parlamentar, estes profissionais “são, constantemente, obrigados a fazer trabalho extraordinário, há quem já tenha 40 dias para tirar, relativamente a férias, tolerância ou feriados que não usufruíram. Esta elevada carga de trabalho leva ao aumento dos níveis de exaustão e há, inclusivamente, pessoas ainda novas, que já mal conseguem exercer as suas funções, com problemas que desenvolveram na coluna, até porque as camas onde ficam estes idosos são muito baixas, não são articuladas e provocam problemas de saúde a quem aqui trabalha”.

Neste contexto, a deputada do JPP desafia o Governo a pensar nas listas de espera e a divulgar “de que modo está a pensar instalar os utentes que precisam de cuidados, os idosos, os pacientes vindos de altas problemáticas, porque este número está a aumentar e as instalações não”.

Patrícia Spínola pede também aos governantes para anunciar “para quando o aumento de todos os grupos profissionais que trabalham nos centros de saúde para que realmente seja efectivamente cumprido o programa de governo e para que se dê uma melhor qualidade às pessoas que vivem no nosso arquipélago, que precisam de um Governo activo e não de um Governo que vira a cara e esteja calado perante estas situações”.