As macas não cabem nos novos elevadores do Centro de Saúde do Bom Jesus

centro de saúde
Utentes e funcionários do Centro de Saúde do Bom Jesus estranham: os elevadores novos não têm espaço para macas.

Funcionários e utentes do Centro de Saúde do Bom Jesus estão perplexos com algumas das obras de melhoramento que foram desenvolvidas naquele espaço e que tiveram como objetivo garantir melhor qualidade na prestação dos serviços. E muitas delas, reconhecem, resultaram precisamente nessa mais valia pretendida.

O que acontece, de acordo com aquilo que foi exposto ao Funchal Notícias por um grupo de utentes e que, segundo apurámos, é preocupação partilhada pelos agentes de Saúde que ali exercem atividade, é que os elevadores, dois deles novos, não têm espaço para transportar macas, o que, na opinião de quem sabe, mas facilmente detetado até por quem não sabe, “é inconcebível num centro de Saúde em que essa componente deveria ser analisada e pensada num momento em que se fazem obras e cujo objetivo é adaptar um edifício antigo às necessidades atuais”.

Dizem que os bombeiros, sempre que transportam alguém acamado, chegam à porta do elevador e não têm outra solução que não seja transportar os doentes “à força dos braços”. E questionam os responsáveis sobre este tipo de soluções que são encontradas, aparentemente, “para resolver serviços elementares, sem pensar minimamente, que as mesmas são aplicadas a uma área de saúde, que tem especificidades que não são exigidas a outro serviço qualquer”.

Internamente, os comentários são muitos. E apontam no sentido da “falta de planificação em algumas obras”, além da falta de material e de manutenção de alguns equipamentos. O ar condicionado, entretanto já solucionado, foi um deles. “Os serviços tiveram três meses à espera da reparação”, dizem.