TAP cancela voo Porto-Funchal e diz que a culpa é da greve dos controladores em França

tap-destaque
TAP cancela voo Porto-Funchal e aponta responsabilidades à greve dos controladores aéreos franceses, segundo relata um passageiro.

Um passageiro da TAP alertou-nos, hoje, para uma situação que considera “veergonhosa”, envolvendo a transportadora aérea nacional. Terça-feira, 10 de outubro, aquela companhia cancelou o voo TP 1713 das 21.50 horas, com partida do Porto e destino ao Funchal. O cancelamento ocorreu uma hora antes do voo e com os passageiros já com o “check-in” feito.

A explicação dada, já na porta de embarque, de acordo com o leitor, prendia-se com a greve dos controladores aéreos em França, situação que foi, no local, considerada “incompreensível” pelos passageiros, além de que o cancelamento deu-se em cima da hora do voo e a greve já estava em curso.

Diz o leitor que  “após os passageiros terem ido às bagagens, entretanto despachadas, dirigiram-se ao balcão da TAP para tratar do alojamento e transporte para o mesmo. Foi então a surpresa maior: como o cancelamento foi devido a “circunstâncias extraordinárias” não havia direito a alojamento nem transporte. Cerca das 23 horas tínhamos um grupo de passageiros deixados completamente ao abandono e por sua conta no Aeroporto do Porto”.

Refere o mesmo leitor do Funchal Notícias que “a TAP, num comportamento abusivo, considera que um voo que não parte de qualquer aeroporto francês nem sobrevoa espaço aéreo francês, possa ser cancelado pela greve que afecta os voos em França. A TAP mascarou assim uma decisão operacional (que daria direito a compensação indemnizatória) com uma “circunstância extraordinária” que não é devida no voo em questão, e deixa os passageiros completamente pendurados”.

O Funchal Notícias procurou, por diversos meios e números, contactar a TAP no sentido de saber a posição da companhia relativamente a esta situação, mas não nos foi possível garantir qualquer explicação, uma vez que ocorreram sucessivas gravações, com largo período de espera. Procuraremos, ainda assim, ter a posição da companhia a todo o momento.