Verbas da derrama: “Confiança” acusa Rubina Leal de demagogia

A Coligação Confiança, refutou hoje, em comunicado, as declarações da candidata à presidência da Câmara do Funchal (CMF), Rubina Leal, que foram publicadas hoje, em diversos meios de comunicação social regionais.

Rubina Leal veio a público prometer o fim do imposto da derrama no concelho e, com isso, devolver 8,6 milhões de euros a 1100 empresas com sede no Funchal, durante os próximos quatro anos, à razão de 2,15 milhões de euros por ano.

Segundo a Confiança, uma simples consulta à página 18 da prestação de contas de 2016, publicadas no site da CMF, “teria evitado a demagogia e poupado mais este constrangimento, uma vez que permitiria perceber que a execução da derrama é de 1,28 milhões de euros/ano no concelho do Funchal (ver foto).

“Assumindo que a proposta da candidata do PSD assenta nas potenciais receitas de derrama nos próximos quatro anos e na sua abordagem simplista, estas cifrar-se-iam em 5,12 milhões de euros (4 anos x 1,28M€ = 5,12 M€). Facilmente se afere a impossibilidade inerente a mais esta promessa, uma vez que a CMF nunca poderia devolver 8,6M€, quando receberia apenas 5,12M€”, revela.

Para a coligação “esta falta de sobriedade levanta um pouco o véu sobre como, no passado, foram geradas dívidas milionárias na autarquia funchalense. Neste caso, trata-se simplesmente de mais uma promessa com um buraco de 3,48 milhões de euros”.

O comunicado acrescenta que “a mesma candidata que hoje promete extinguir unilateralmente a derrama, votou ironicamente a favor da aplicação da mesma, num passado não muito distante, conforme se prova pela ata da Reunião Ordinária da Câmara do Funchal, datada de 7 de dezembro de 2011.”