Funchal recupera 12,8 km de caminhos pedestres no Parque Ecológico

Foto DR.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, acompanhou, no Parque Ecológico do Funchal, o início das obras de recuperação de 12,8 km de caminhos pedestres, parte dos quais afetados nos incêndios do passado Verão.

Trata-se de um investimento de 361 mil euros, resultado da aprovação de uma candidatura ao programa comunitário PRODERAM 2020 – Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira, que irá recuperar, em específico, quatro percursos: Poço da neve – Casa do Barreiro, Pico do Areeiro – Ribeira das Cales, Ribeira das Cales – Monte e a ligação entre a levada do Barreiro e o Centro Temático da Água.

Paulo Cafôfo, que visitou os trabalhos ao lado de Miguel Silva Gouveia, Vereador das Obras Públicas, e Idalina Perestrelo, Vereadora que tutela o Ambiente e o Parque Ecológico do Funchal, descreveu “uma recuperação que vai incidir sobre caminhos antigos, e outros afetados recentemente pelas catástrofes naturais que tiveram lugar no concelho, com vista a que estes possam ser usufruídos em segurança o mais rapidamente possível, por todos os madeirenses e por todos quantos visitam a cidade. Vamos mitigar os efeitos da erosão destes trilhos, sofrida ao longo de décadas, e garantir condições para a intervenção de meios de socorro, quando necessário, numa beneficiação que consideramos determinante para a valorização do nosso Parque Ecológico.”

A obra vai contemplar o reforço e adequação dos pavimentos, a instalação e melhoramento de varandins de proteção, a construção de muros de suporte e a limpeza de vegetação, sendo cofinanciada a 85% por fundos europeus, com os restantes 15% assegurados pelo orçamento municipal do Funchal.

Paulo Cafôfo destaca que “este é mais um projeto alicerçado na preservação do património natural do concelho, que premeia o trabalho desenvolvido pelos técnicos da Câmara Municipal do Funchal e do Parque Ecológico e com inegável valor acrescentado para uma cidade que encontra no turismo a sua principal atividade económica.”

Refira-se que a Câmara Municipal do Funchal também viu recentemente aprovada uma candidatura no valor de 1,4 milhões de euros pela Autoridade de Gestão do PRODERAM 2020, com o intuito de reflorestar 407 hectares do Parque Ecológico do Funchal, na sequência dos incêndios do passado Verão.

Uma vez que a rede viária florestal foi bastante afetada, esta intervenção em curso nos caminhos pedestres reveste-se de particular importância, não só na prevenção e combate aos fogos florestais, mas também na execução dos trabalhos previstos neste projeto de reflorestação em larga escala.