Rubina Leal quer transformar Matadouro em Museu de História Natural

Reabilitar o Edifício do Matadouro transformando-o num verdadeiro Museu de História Natural, para acolher um espólio de 60.000 espécimes, alguns de valor “incalculável” e “únicos no mundo”, será uma das obras emblemáticas da candidatura ‘Leal ao Funchal’, promete Rubina Leal.

A candidata a presidente da CMF diz que “temos um património incalculável que está espalhado entre a Estação de Biologia Marinha e o Palácio de São Pedro, e aquilo que vamos fazer é criar um verdadeiro Museu de História Natural, reconvertendo toda esta zona urbanística, transformando-a num espaço não só Cultural mas de Ciência, aberto a todos”, sintetizou a candidata do PSD à Câmara Municipal do Funchal, Rubina Leal, durante uma visita ao antigo Matadouro.

Este é, defende, um local histórico, que “necessariamente” tem que ser aproveitado,  rentabilizado e colocado ao serviço da população e de quem nos visita. “O projecto já existe”, disse Rubina Leal, e contempla também um auditório, uma cafetaria, reabilitação do espaço envolvente. Tudo com uma forte componente educativa.

“Será uma das obras emblemática do nosso mandato, e será concretizado”, assegurou, considerando “lamentável” que, ao fim de quatro anos de mandato, o actual executivo camarário ainda não saiba o que fazer com este espaço.

“Eu lembro as várias promessas que aqui foram feitas. Já se falou em ‘coworking’, já se falou num Museu do Automóveis Clássicos, já se falou em colocar aqui várias associações, mas até ao momento nenhum desses projectos foi concretizado”, assinalou, dizendo que é “importante” que as pessoas percebam que nada do que foi prometido, foi cumprido.

O actual Museu de História Natural, no Palácio de São Pedro é demasiado pequeno para que, de forma digna, possa expor todas as peças, o que faz com que muitas delas estejam armazenadas, explicou Rubina Leal.

Esta obra será concretizada, garantiu, “porque sabemos que há fundos comunitários do FEDER que podem ser utilizados na remodelação e na obra deste mesmo edifício.”