Conferência amanhã na Quinta das Cruzes aborda restauro das cantarias da torre da Sé

O Museu Quinta das Cruzes acolhe amanhã, pelas 18 horas, uma conferência promovida pela DRC, no âmbito do projecto de divulgação cultural “Dar a Ver”. O tema é “Conservação e Restauro das Cantarias da Torre da Sé”.

Nesta iniciativa, o Conservador-Restaurador Nuno Proença, da empresa Nova Conservação, Lda., deverá abordar a intervenção de urgência que está a realizar na torre sineira da Sé do Funchal, cujo objectivo principal foi o de minimizar problemáticas típicas das rochas vulcânicas empregues – sobretudo, as associadas às cantarias “moles” –, já encontradas e bem caracterizadas no portal, rosácea e guarda do terraço do Santíssimo Sacramento do mesmo edifício, refere um comunicado governamental.

Com um prazo de execução de 6 meses, a intervenção, em traços gerais, visou resolver os graves problemas de destacamento e perda de material pétreo, com recurso a uma metodologia específica, desenvolvida por uma equipa multidisciplinar, especialmente para os substratos pétreos em causa e, em particular, para os blocos em avançado estado de degradação.

Do ponto de vista estrutural, estavam também assinaladas anomalias na zona dos cunhais da torre (provavelmente advenientes do terramoto de 1748), que foram agora tratadas, com elementos de reforço e através do preenchimento de vazios, no sentido de conferir maior coesão aos aparelhos, informam-nos.

Da acção do tempo e dos agentes atmosféricos, resultaram também vazios em profundidade e descontinuidades, quer nos blocos, quer nas juntas; assim, o último enfoque da intervenção teve como finalidade o seu preenchimento e microestucagem, melhorando-se por um lado as suas condições de conservação e, por outro, a leitura das superfícies e estereotomia da torre.

Nuno Proença recebeu formação e especializou-se em Conservação e Restauro pelo Istituto Superiore per la Conservazione ed il Restauro, de Roma. Conta com uma experiência profissional superior a 25 anos, a nível nacional e internacional, na conservação e restauro de património imóvel e integrado, em diversos materiais, bem como na direcção/gestão de projectos, frequentemente multidisciplinares, de conservação e restauro em património classificado e edifícios históricos. Participou por diversas vezes em projectos internacionais em Itália, Índia, e Argentina. É sócio-gerente da Nova Conservação Lda. (www.ncrestauro.pt), constituída em Portugal em Agosto de 1994. Trata-se de uma empresa de concepção, gestão e execução de projectos de conservação, restauro e manutenção do património móvel, imóvel e integrado, com alvará para a realização de obras públicas e privadas, tendo realizado numerosas intervenções, designadamente, em monumentos classificados pela UNESCO como Património Mundial, em Portugal e em Itália. Algumas dessas intervenções foram distinguidas pela organização EUROPA NOSTRA.

O projeto “Dar a Ver” iniciado em 2016 tem por base a ideia da divulgação do património artístico existente no arquipélago da Madeira em diálogo com obras nacionais e internacionais, sobretudo tendo em conta que, para além dos trabalhos de investigação, classificação e conservação e restauro, é essencial proceder-se à divulgação e ao conhecimento de um vasto e diversificado conjunto de bens móveis e imóveis postos à guarda de todos os madeirenses, e que constituem uma essencial reserva de identidade cultural.

Serão convidados ao longo do ano um conjunto de especialistas, locais e nacionais, que abordarão de forma mais específica ou generalista aspetos dessa imensa diversidade cultural conservada in situ, ou já transitada para museus. O essencial do programa será constituído por visitas guiadas e por conferências a realizar em vários locais.

As inscrições (gratuitas) poderão ser feitas através do e-mail: daraver.drc@gmail.com