CDS na feira do gado desafia Humberto Vasconcelos a revelar números do setor primário

O presidente do CDS-PP desafiou o secretário regional da Agricultura a dizer publicamente quantos postos de trabalho criou o sector primário, desde 2015 e a indicar a taxa de execução dos fundos comunitários para a agricultura.

António Lopes da Fonseca visitou este domingo a Feira Agropecuária do Porto Moniz, mostrou-se agradado com as melhorias introduzidas pelo Governo Regional em todo o recinto do certame, elogiou o desempenho dos agricultores e o esforço que fazem para, com o seu trabalho nem sempre reconhecido, contribuírem para a economia regional e para a humanização da paisagem, mas disse que é preciso mais.

“O Governo Regional apresentou a nova raça de vacas limousine, é bom para melhorarmos a nossa produção, mas é preciso fazer muito mais pelo sector primário, pela agricultura e pela produção de carne onde, em alguns sectores, já fomos auto-suficientes”, declarou António Lopes da Fonseca, depois de percorrer o recinto e trocar impressões com agricultores e produtores.

O líder da oposição regional disse que o sector agro-alimentar em Portugal continental está a crescer dois dígitos ao ano e por isso desafiou o Governo Regional a apresentar publicamente resultados concretos das suas políticas, dado que este quadro comunitário está a acabar e é importante saber de que maneira a Região tem sabido aplicar os fundos estruturais para o sector.

António Lopes da Fonseca afirma que a agricultura tem muito para crescer mas entende que isso só será possível se o Governo Regional simplificar os projectos e colocar técnicos a ajudar os agricultores.

O presidente do CDS-PP fez-se acompanhar de vários dirigentes do partido: o secretário-geral, Pedro Pereira, os presidentes das concelhias do CDS-PP Santa Cruz, Pedro Freitas, e da concelho da Ribeira Ribeira, Rafael Sousa, e do deputado e candidato à presidência da Assembleia Municipal de Câmara de Lobos, Roberto Rodrigues.