Jardim sobre a Convenção Autárquica: “Fala-se agora muito de “unidade”, apesar das safadezas acumuladas contra muitos dos que fizeram o Partido”

O ex-presidente do PSD-Madeira, Alberto João Jardim viu e ouviu o que se passou na Convenção Autárquica do PSD-M e hoje tornou público o que pensa num artigo denominado “Autocrítica Benvinda”.

Ei o teor da sua opinião sobre a apresentação de candidatos social-democratas às Autárquicas de 2 de outubro:

“O PSD/Madeira procura acertar o passo.

Daí a apresentação pública dos seus candidatos e do outro que apoia, perdoado o pecado do “virar a casaca”, numa estreia de pela primeira vez o PSD/Madeira não ter candidato próprio à presidência de um dos Municípios.

Para já, registe-se a adesão ao acto por parte de titulares de cargos públicos.

Quanto ao conteúdo dos discursos, melhor análise farão os trabalhadores da hoje monocórdica, instrumentalizada e monopolizada imprensa diária de papel. E à respectiva sintaxe acorrerão os filólogos.

Positiva, a novidade de os candidatos “terem sido escolhidos pelas Bases”, ainda que não se conheçam todos.

Mas, sobretudo, é de louvar a oportuna autocrítica do líder actual.

Como que numa regeneração, fala-se agora muito de “unidade”, apesar das safadezas directas e indirectas acumuladas contra muitos dos que fizeram o Partido.

Ora, porque se tratava de um dramático e porventura tardio apelo à “unidade”, não faz sentido que a afirmação do líder sobre as atitudes das anteriores direcções partidárias para com quem traía, fosse entendida como uma farpa à pretendida “unidade”.

Não!…

Como ele veio integrando quase todas essas direcções do Partido, trata-se, sim, de uma autocrítica à maneira como ele, também e bem, verberou comportamentos traidores.

Muito bem!…”