Católicos vivem a alegria da Páscoa


Este domingo de Páscoa é a maior festa dos católicos. Assinala a Ressurreição de Cristo que venceu a Morte para trazer Vida a todos os humanos.
Em todas as igrejas da Diocese do Funchal serão, a 16 de abril, celebradas as Missas e vão realizar-se as Procissões da Ressurreição. Os cânticos alegres regressam à liturgia, após os 40 dias de meditação vividos na Quaresma.
Na Sé do Funchal no Domingo de Páscoa às 11 horas será celebrada a Eucaristia, antecedida da Procissão da Ressurreição. As cerimónias serão presididas pelo Bispo do Funchal e têm a particularidade de poder ser a última vez que D. António Carrilho as preside já que a sua renúncia ao cargo foi enviada para o Vaticano. caberá ao papa decidir se o mantém por mais algum tempo ou nomeia novo Bispo para a Diocese do Funchal..
O aleluia anunciará a alegria desta festa que se prolonga por 50 dias. Para a Igreja Católica, a Páscoa é uma festa tão importante que merece ser assinalada durante 50 dias, pelo que os domingos que se seguem são denominados de Domingos da Páscoa. Com a festa do Pentecostes, ou Espírito Santo, daqui há 50 dias, este ano no 4 dia de junho  conclui-se este tempo festivo.
No domingo a seguir à Páscoa, este ano no dia 23 de abril, nas paróquias da Diocese do Funchal vão decorrer as visitas do Espírito Santo. Após a celebração da missa os grupos compostos por três homens e duas meninas denominadas de «saloias» percorrem os sítios levando a alegria pascal às famílias, mantendo-se assim uma tradição com muitos anos.
Estas visitas vão ter lugar nos domingos do Tempo Pascal, até ao Domingo de Ascensão.