Guerra aberta entre Luísa Mendonça e Filipe Menezes rebenta na Assembleia Municipal

 

 

merndonca2
A equipa socialista no Porto Santo está de candeias às avessas.

A política autárquica no Porto Santo está ao rubro e o cálice do descontentamento transbordou hoje na reunião da Assembleia Municipal com demissões e reconduções. Tudo no mesmo dia, porque a equipa socialista que governa a autarquia está de candeias às avessas.

No cerne da discórdia, está uma relação azeda entre a presidente da Assembleia Municipal, Luísa Mendonça e o presidente da Câmara Municipal do Porto Santo, Filipe Menezes, paradoxalmente da mesma cor partidária (PS) mas que navegam em águas completamente opostas. No fundo, tudo devido a “guerras internas” que vêm de longe e a um “feitio difícil” de Menezes.

Segundo é comentado pelos autarcas locais, Luísa Mendonça já terá manifestado a intenção de se desvincular do PS onde tem militado durante anos, sendo uma figura de referência na história política do Porto Santo.

mendoinca-camaraO PSD chegou a avançar, esta manhã, com uma proposta de destituição da mesa da assembleia municipal que foi aprovada, conforme comunicado rubricado por Roberto Silva. Esta tarde, voltaram a reunir e a “velhinha” mesa foi reealeita. Luísa Mendonça é novamente reconduzida à frente da Assembleia Municipal e continuou a presidir aos trabalhos, mas num clima muito difícil.

A mesa da Assembleia é chefiada pelo PS, com uma primeira secretária do PTP e uma segunda secretária do PS.

Os tempos avizinham-se difíceis, sendo estas atitudes encaradas com “um tiro no pé”, por parte dos autarcas socialistas que, em vésperas de eleições autárquicas estarão a facilitar o regresso do PSD ao poder na Ilha Dourada.

Comunicado do PSD

Entretanto, esta tarde, o PSD emitiu um comunicado sobre esta querela, assinado pelo deputado municipal Roberto Silva, que se reproduz em seguida

  1. Na sequência de uma discussão entre o presidente da Câmara Municipal do Porto Santo e a presidente da Mesa da Assembleia, durante a sessão ordinária de hoje, a Mesa da Assembleia Municipal foi destituída. Esta destituição aconteceu por indicação do presidente da câmara aos deputados municipais socialistas.
  2. O desentendimento entre os socialistas aconteceu de manhã quando o presidente do Município do Porto Santo pôs em causa a forma como a presidente da Mesa da Assembleia (Luísa Mendonça) estava a conduzir os trabalhos.
  3. A presidente da Mesa da Assembleia entendeu que não havia condições para continuar os trabalhos, tendo suspendido a sessão e marcado o início dos trabalhos para a parte a tarde.
  4. No início da tarde de hoje, o deputado independente, Dinarte Velosa, perante o que se tinha passado na parte da manhã, propôs a votação de um voto de confiança à Mesa da Assembleia. Os membros do PSD disseram que iam abster-se, uma vez que não foram responsáveis pela eleição da mesma.
  5. No processo de votação, dos 13 deputados municipais que podiam votar, todos os deputados se abstiveram, incluindo os quatro deputados do PS, por indicação do próprio presidente da autarquia.
  6. Face à recusa dos próprios deputados do PS em votar a moção de confiança à Mesa da Assembleia eleita pelos socialistas, presidida por Luísa Mendonça e Teresa Leão (a nova presidente da concelhia do PS no Porto Santo), o PSD entendeu que não estavam reunidas as condições para o funcionamento deste órgão.
  7. O PSD afirmou que não iria apresentar lista, uma vez que não é o partido mais votado do concelho. Assim, o PSD entende que cabe ao PS apresentar uma nova lista para a Mesa da Assembleia Municipal, que irá acontecer agora na parte da tarde.
  8. O PSD limitou-se a ser consequente com a votação que houve e com o facto de os próprios deputados municipais não terem aprovado a moção de confiança à sua própria mesa.