Já arrancou a XIX edição da Regata Internacional Canárias – Madeira

unnamed (1)São 46 as embarcações que participam na XIX edição da Regata Internacional Canárias – Madeira em vela de cruzeiro. A largada das embarcações deu-se pelas 12h00, de hoje, na baía da cidade de Arrecife em Lanzarote rumo ao Funchal.

A frota distribuída entre a classe ORC e OPEN, está  dividida com 23 barcos em cada classe.

Segundo informações da organização foi “sob um bonito e soalheiro dia, com temperatura a rondar os 30º graus, o mar chão e vento de intensidade força 2 a 3, quadrante NE, reuniram condições muito aprazíveis para a prática da vela”, que às 12h05m as 46 embarcações iniciaram esta competição, num total de mais de 250 tripulantes, que no Funchal será acompanhados pelas respectivas famílias, prevendo-se um total de mais de 330 visitantes.

De referir que a frota de ORC, compete em quatro classes, distribuídas da 1 à 4, contando cada qual com 3, 9, 5 e 6 barcos respectivamente. Esta redistribuição das embarcações permitirá uma maior competitividade e motivação para as tripulações. Já a classe OPEN compete em tempo real distribuídos as embarcações em 3 classes.

Ao barco que chegue em primeiro lugar em tempo real será atribuído o prémio Alivar Cardoso, troféu normalmente ganho pelas maiores e mais evoluídas embarcações.

SWING ao seu melhor nível com largada espetacular

Foi simplesmente espetacular ver a largada desta XIX edição da regata internacional Canárias – Madeira em vela de Cruzeiro. Eram precisamente 12h05, e o iate madeirense Swing sob o comando de José Augusto Araújo, fez-se à regata tomando a dianteira sob a enorme concorrência da frota espanhola, seguido pelo iate Lola, Katanga estes em classe ORC, sendo que na classe OPEN o iate espanhol Dream e The Boss lideravam.

A largada com mar chão e vento a rondar os 10 nós de NE, permitiu à frota se deslocar rapidamente, tendo com o desenrolar da regata o vento aumentado até à boia de desmarque a cerca de 1 milha náutica da largada, zona de percurso em que deu para ver algumas tripulações em apurados trabalhos e afinações a fim de obter o melhor rendimento.

Após a rondagem da baliza de desmarque (a cerca de 1Mn da largada), liderada pelo Swing, a sua tripulação esmerava-se em esforços, a procurar desde logo ganhar a maior vantagem possível e manter a liderança. Pouco atrás a forte frota espanhola com o Lola, Katanga, Sorodongo, Antigua Craiova, Jalapeno, Dream, The Boss e Ferrer e Garcia, não davam sinais de tréguas.

Quanto à restante frota madeirense, a mesma esteve muito bem à largada com o Red Ruth, Marujo, Alf CEX e Aquaholic a largarem entre os 20 primeiros.

A regata teve como espectadores atentos a madrinha do evento S.A.R. a Princesa Alexia de Grécia, a alcaide da cidade Eva de Anta e o vice alcaide Rafael Juan Gonzalez que acompanhados pelo presidente do clube Júlio Romero e o comodoro do CNF Martim Cardoso, puderam aplaudir os protagonistas deste evento que une os dois arquipélagos.

A organização de mar esteve a cargo do Capitão Náutico do Real club de Arrecife, D. Alfredo Quintana que coadjuvado pelo medidor Angel Delgado e pela amável e disponível colaboradora de Gran Canaria Sílvia Valencia, desenvolveram um notável trabalho.

Face às condições de tempo a organização prevê que a passagem junto às ilhas Selvagens se faça para os primeiros, durante a noite e início da madrugada de 3ªF para 4ªF, e com as previsões do tempo com o vento a rondar para NE, e a aumentar para 15 nós e vaga a rondar os 2 a 3 metros, poderá permitir um bom andamento com um rumo quase directo ou mesmo directo ao Funchal, situação que poderá fazer com que esta regata se possa desenrolar de forma rápida e confortável para todos, no entanto serão as condições climatéricas e as opções das tripulações aquelas que decidirão todo o desenrolar da regata.