“Siga, Freitas” que a rampa mete água

(Foto Rui Marote)
(Foto Rui Marote)

* Com RUI MAROTE

O perigo espreita na Travessa do Freitas, pequeno arruamento que liga a Rua da Carreira ao Jardim Municipal.
Há muito que os transeuntes e moradores da zona vêm alertando para as condições (ou falta delas) do piso, colocando em risco a segurança das centenas de pessoas que por ali passam.
É que a calçada à moda antiga, no troço que dá acesso à rampa, tem sido negligenciada, não só à conta do tempo, como de derrames de água persistentes, resultado da falta de manutenção de um antigo reservatório existente na Rua Ivens.
(Foto Rui Marote)
(Foto Rui Marote)
Um olhar mais atento mostra os sinais de degradação das paredes deste equipamento da Câmara do Funchal, algo injustificável, pois acontece em pleno coração da cidade, próximo dos órgãos decisores e de um significativo aglomerado habitacional e comercial. Aliás, a mesma autarquia que recomenda aos munícipes contenção e poupança de água não estará aqui a dar um bom exemplo na racionalização deste recurso, tão importante na sustentabilidade e segurança do município.
Para além da eventual situação de desperdício, o facto é que este problema afeta a parte final do arruamento incluindo a rampa de pedra lascada que desce até à Rua Ivens, o que faz crescer os receios de quedas ou acidentes mais graves, dado o seu declive.
A situação é coisa séria até porque já tem “lodo pelas barbas”. Todos os dias, os transeuntes menos avisados arriscam-se a ir de corsa, rampa abaixo. E aí não haverá água benta que livre as autoridades das suas responsabilidades.
Será que nenhum fiscal, deputado da Assembleia ou vereador passou ainda pelo local e reparou no perigo iminente?
Estepilha, é caso para perguntar: Até quando “Siga, Freitas”?!