Bloco denuncia caso de família que vive sem as condições mínimas

be

O Bloco de Esquerda esteve no Caminho Velho da Chamorra, freguesia de Santo António, no Funchal, para denunciar o caso de um jovem casal que vive num rés-do-chão “em condições sub-humanas”, com duas crianças de 3 e 4 anos. A família, explicou Roberto Almada, vive sem as mínimas condições de habitabilidade, num rés-do-chão duma antiga escola que lhes foi alugado. Mas, como o pai das crianças perdeu o emprego, e a mãe ganha apenas cento e poucos euros numas horas em que trabalha, não conseguem pagar a renda ao proprietário.

Por isso, estão em risco de ser despejados.

O Bloco estranha como a Junta de Freguesia, a IHM e demais entidades “nada fizeram” perante esta situação. Para começar, “o rés-do-chão duma antiga escola não tem condições mínimas de habitabilidade, e não devia ser arrendado para esse fim”.

O BE não compreende também a alegada inoperância das supracitadas entidades, perante as condições em que estas pessoas têm sido obrigadas a viver, sem água nem luz, e agora mesmo em risco de perder um tecto que, apesar disso, as abriga.

Roberto Almada diz que a IHM já tem conhecimento da situação há seis meses.

“Onde anda a presidente da Investimentos Habitacionais da Madeira, que muitas vezes nem se encontra lá para atender as pessoas?”, questiona o parlamentar.