CDS lança desafios na área da agricultura

dsc02248.jpg

Conforme o FN já noticiou, o CDS-PP resolveu iniciar um novo modelo de jornadas parlamentares, fora de portas, em contacto com empresas, instituições e cidadãos. Hoje, logo pela manhã, os deputados centristas visitaram a empresa de vinhos Henriques & Henriques, em Câmara de Lobos, seguindo-se uma exploração de floricultura (tulipas) em São Martinho. A finalizar as jornadas, uma reunião com produtores de banana, na Ponta do Sol.

Conforme explica o partido, neste novo modelo de abordagem da política regional, o líder parlamentar apresenta soluções e iniciativas para o sector em questão. Darão, pois, entrada em breve na Assembleia Legislativa Regional propostas para aumentar o rendimento dos produtores de banana, enquanto na floricultura, o desafio é o Governo Regional conseguir negociar com as companhias aéreas a possibilidade de os turistas saírem da ilha levando flores consigo. Já no vinho, o objectivo é continuar a incentivar o sector com apoios do POSEI.

Conforme declarou hoje o líder da bancada centrista, Rui Barreto, a floricultura, a banana e o vinho são três sectores muito importantes sob o ‘chapéu’ da agricultura.

“Consideramos este sector muito importante, porque temos tradição e capacidade para crescer, aumentando o rendimento e resolvendo o desemprego”, defendeu.

Essencial, disse Rui Barreto, é ajudar os empresários e produtores a reduzir o custo de produção, nos adubos, nos fertilizantes, etc. Há apoios para isso, e o CDS tem iniciativas nesse sentido, disse. Outro aspecto muito importante é os transportes, e a Madeira debate-se actualmente com um problema que ainda não resolveu: “Nós agravámos em 30 por cento a carga fiscal. E a razão de ser de um empresário na RAM, que era poder ter, através da sua condição de ultraperiferia, condições fiscais mais baixas, neste momento tem de competir com grandes mercados, grandes centros de logística, com uma carga fiscal idêntica”.

Reduzir o custo de transporte para grandes centros de distribuição como Lisboa é essencial, disse. Há, pois, que subsidiar esse transporte.

Comentando o recente plano estratégico da banana, aprovado em Conselho de Governo, Rui Barreto disse que o CDS fez contas à empresa Gesba, que faz a comercialização de toda a produção de banana. E chegou à conclusão que “há condições inequívocas para aumentar o rendimento aos bananicultores”. Por isso, desafiou o secretário regional da Agricultura e Pescas, Humberto Vasconcelos, a analisar esses números da citada empresa.