Finalistas da APEL regressam de Rebel Village com sabor a festa e livre trânsito

van5
Os finalistas da APEL na viagem de sonho. Fotos DR

Três dezenas de estudantes da APEL acabam de regressar da viagem de finalistas realizada a Rebel Village. A viagem de autocarro foi dura até à costa espanhola de Salou mas os momentos que se seguiram foram inesquecíveis e são revelados ao FN pela presidente da  Comissão de Finalistas da Escola Complementar do Til.

Vanessa Ji e companheiros regressaram, ontem, à Madeira e vieram bem inspirados com o que viram e viveram, no que resumem ser “um momento” para sempre recordar. Vanessa Ji deixa ao FN o retrato desta experiência que durou uma semana mas que será sempre recordada.

 

“No dia 17 deste mês, fomos 30 alunos da APEL, rumo à “Rebel Village”. Este destino é, de entre vários outros, uma produção da empresa Megafinalistas, marca registada no grupo Geostar, e reconhecida pelos seus conceitos originais, únicos e irreverentes, com os preços mais acessíveis deste mercado. Este “movimento jovem” tem lugar nas instalações de “La Torre del Sol”, um Camping Resort, na costa de Salou.

van jiApesar das 15 horas de autocarro soarem intermináveis, revelaram-se, para a maioria, até facilmente suportáveis e, no nosso caso, até muito animadas.

O resort
Em termos de alojamento, as instalações do resort incluíam piscinas climatizadas, jacuzzis exteriores e interiores, praia privada, restaurantes, bar e café, supermercado, campos desportivos e um centro de fitness e spa.
Ao contrário de outros destinos, este não nos oferecia quartos de hotel, mas bungalows, equipados com todo o tipo de utensílios e dispositivos necessários para uma semana de conforto. Apesar do choque inicial face à sua reduzida dimensão, facilmente nos habituámos e cedemos ao espírito livre e relaxado aliado ao conceito desta empresa. A experiência de partilhar 27 metros quadrados com mais 5 amigos será, sem dúvida, uma das que guardaremos por muito tempo e trarão risadas quando relembradas, desde a falta de arrumação às refeições desastrosas que por nós foram preparadas.
van3
van4Entretenimento
O resort disponibilizou as mais variadas atividades diurnas, incluindo concursos de comida, de talentos, de desporto; um escorrega gigante; sessões de cinema, aulas de dança com a Blaya e sunsets na praia.
As festas noturnas ocorreram todas no “Pacha”, uma cadeia de discotecas de renome, e em associação com a “New Sheet”, produtores das festas “Battle Royale” e “Push The Button”, pelo que pudemos contar com noites tão animadas quanto o dia, desde guerras de tintas a bingo em t-shirts e ao som de artistas como o Agir, os Karetus e a Carolina Deslandes.

van2E, como fruto do trabalho da Comissão de Finalistas da APEL –  destacamos o baile de finalistas que contou com o apoio da Megafinalistas na construção do seu cartaz – pudemos oferecer o cartão-noite, cartão de acesso às festas no Pacha, a todos os estudantes participantes da viagem.

Extras da viagem
Esta viagem teve ainda outras componentes interessantes.  Foi-nos oferecida também uma oportunidade para visitar a cidade de Barcelona, com um dia para explorá-la livremente, sem quaisquer custos adicionais.

vandançaEsta oportunidade foi aproveitada pela maioria que adorou a oportunidade de conhecer monumentos mundialmente conhecidos, como a Sagrada Família, ainda mais deslumbrante ao vivo. Para outros, foi também uma oportunidade para passear pelas ruas espanholas e usufruir da grande variedade de lojas e marcas, que não temos acesso na ilha.

Como se não fosse suficiente, ainda  nos foi proporcionada uma ida opcional ao PortAventura Park que, apesar do seu custo adicional, se justificou e foram mais momentos para recordar.

Felizmente, não houve nenhum incidente sério que envolvesse alunos da APEL, nem estes cederam gravemente a qualquer vício comum da juventude atual.

Durante esta semana, foi difícil acreditar que estávamos todos juntos fora da ilha, fora de solo português, em Espanha! E esta é uma das maravilhas da viagem, esse frio na barriga pelo acontecimento que vivíamos.
A nossa experiência foi única, graças ao ideal da Megafinalistas que nos colocou numa “cabana” e nos deixou com a liberdade e obrigação de controlar, autonomamente, tanto a alimentação como a arrumação, pelo que convivemos com o espírito de uma família e criámos uma proximidade difícil de alcançar.

A viagem de finalistas é, para muitos, um fechar de um ciclo e o início de um novo. Terminado o nosso “momento”, resta-nos pegar nos livros e regressar ao que por uma semana quase esquecemos, mas onde construímos histórias e relações e onde o tempo não foi perdido como muitos podem pensar e, pelo contrário, tornou-se digno de recordação”.