Setores público e privado empregam aproximadamente 300 assistentes sociais

/LC/

Foto: Rui Silva / ASpress /
Foto: Rui Silva / ASpress /

Secretária Regional releva capacitação e vocação do assistente social para mediar a satisfação de necessidades e acesso às políticas públicas de cariz social.

A Secretária Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, Rubina Leal, interveio segunda-feira, 14 de março, na sessão de abertura do II Congresso de Assistentes Sociais da Macaronésia, no Teatro Municipal Baltazar Dias, no Funchal.

Na ocasião, a governante realçou que compromissos dos profissionais de Serviço Social, como o desenvolvimento e a coesão social constituem questões centrais do atual Programa de Governo.

“Permitam sublinhar que o Governo Regional, profissionais e educadores do Serviço Social comungam a solidariedade e a responsabilidade necessárias à prossecução de políticas sociais, visando o bem-estar das populações”, sublinhou a Secretária Regional na sua intervenção.

“Mas, para além dessa comunhão, a nossa Região também precisa da vocação e capacitação do assistente social para mediar, incluir e incrementar a satisfação de necessidades e o acesso dos membros da comunidade às políticas públicas de cariz social”, prosseguiu.

Nesse sentido, Rubina Leal indicou que os setores público e privado na região autónoma empregam aproximadamente 300 assistentes sociais e vincou os contributos destes profissionais para a inclusão e bem-estar de populações mais vulneráveis, através do respetivo desempenho em programas de ação.