Orquestra Clássica da Madeira toca hoje no Teatro Municipal

orquestra clássica

A Orquestra Clássica da Madeira, através da Associação Notas e Sinfonias Atlânticas, apresenta-se em palco hoje, quinta-feira, dia 4 de junho, pelas 21:30, no Teatro Municipal Baltazar Dias. O concerto estará sob a direção do maestro Pedro Neves, reconhecido pela profundidade, coerência e seriedade na interpretação musical. Ocupará o lugar de solista, a violinista Natalia Lomeiko, vencedora de inúmeros prémios em concursos internacionais de violino.

O programa eleito para este concerto contempla a estreia absoluta da Abertura “A Canga” obra do Compositor, Tenor, Professor e Maestro Coral João Victor Costa. É Madeirense e é o autor do “Hino da Madeira” e criador de inúmeras obras de elevada qualidade artística.

Neste concerto, serão também interpretadas as obras de M. Bruch “Concerto para violino e orquestra nº1” e de L. van Beethoven “Sinfonia nº2 em Ré maior Op. 36”.

Os bilhetes para o concerto estão disponíveis na bilheteira do Teatro Municipal Baltazar Dias e custam 20€, para as crianças dos 6 aos 12 anos 5€.

Pedro Neves

Maestro Convidado, Pedro Neves

Pedro Neves é maestro titular da Orquestra Clássica de Espinho, assumindo o cargo de maestro convidado da Orquestra Gulbenkian. Atualmente é doutorando na Universidade de Évora, sendo o seu objeto de estudo as seis sinfonias de Joly Braga Santos.

Pedro Neves foi maestro titular da Orquestra do Algarve entre 2011 e 2013, e é convidado regularmente para dirigir a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, a Orquestra Sinfónica Portuguesa,  a Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Orquestra Filarmonia das Beiras e a Joensuu City Orchestra (Finlândia).

No âmbito da música contemporânea tem colaborado com o Sond’arte Electric Ensemble, com o qual realizou estreias de vários compositores portugueses e estrangeiros, realizando digressões pela Coreia do Sul e Japão, com o Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, e com o Remix Ensemble Casa da Música.

É fundador da Camerata Alma Mater, que se dedica à interpretação de repertório para orquestra de cordas, e com a qual tem recebido uma elogiosa aceitação por parte do público e da critica especializada.

Pedro Neves iniciou os seus estudos musicais na sua terra natal, estudou violoncelo com Isabel Boiça, Paulo Gaio Lima e Marçal Cervera, respetivamente no Conservatório de Música de Aveiro, Academia Nacional Superior de Orquestra em Lisboa e Escuela de Música Juan Pedro Carrero em Barcelona, com o apoio da Fundação Gulbenkian. No que diz respeito à direção de orquestra estudou com Jean Marc Burfin, obtendo o grau de licenciatura na Academia Nacional Superior de Orquestra, com Emilio Pomàrico em Milão e com Michael Zilm, do qual foi assistente. O resultado deste seu percurso faz com que a sua personalidade artística seja marcada pela profundidade, coerência e seriedade da interpretação musical.

Em 2013 e 2014 teve compromissos com as mais importantes orquestras portuguesas, dos quais se destacam a realização de um programa dedicado a Luís de Freitas Branco, com a Orquestra Gulbenkian, um programa dedicado a Poulenc com a Orquestra Sinfónica Portuguesa e um programa dedicado à morte e ressurreição com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, interpretando obras de Messiaen e Mahler.

Natalia Lomeiko 2014 by Jane Blundell copy
foto: Jane Blundell

Solista Natália Lomeiko – violinista

Nasceu numa família de músicos em Novosibirsk, na Rússia. Estabeleceu-se internacionalmente como uma artista versátil. Ganhou inúmeros prémios em concursos internacionais de violino, nomeadamente: Tibor Varga, Tchaikovsky, Menuhin, Stradivari. Em 2012, recebeu a medalha de ouro e o primeiro prémio no concurso internacional “Paganini”, em Itália e, em 2003, foi a vencedora do primeiro prémio no concurso internacional “Michael Hill”, em Auckland, Nova Zelândia.

Natália estudou na Specialist Music School, em Novosibirsk com o professor A. Gvozdev, na Escola Yehudi Menuhin, em Inglaterra, onde estudou com Lord Menuhin, na  Royal College of Music, com o professor N. Boyarskaya e na Royal Academy of Music com o professor Hu Kun. Natalia Lomeiko vive atualmente em Londres.

Desde a sua estreia, aos 7 anos, com a Novosibirsk Symphony Orchestra, Natalia Lomeiko tem atuado como solista em várias orquestras, tais como: a Royal Philharmonic Orchestra, sob a direção do Lord Menuhin, a Philharmonia, a Singapore Symphony, a New Zealand Symphony, a Auckland Philharmonia, a Christchurch Symphony, a Tokyo Royal Philharmonic, a New European Strings, a Moscow State Chamber Orchestra, Melbourne Symphony, Adelaide Symphony, St. Petersburg Radio Symphony, a Nice Philharmonic, a Russian State Philharmonic Orchestra, entre muitas outras.

Natalia Lomeiko tem colaborado com maestros distintos, tais comoLord Menuhin, Lionel Bringuier, Werner Andreas Albert, Matthias Bamert, Arvo Volmer, Olari Elts, Sir William Southgate, Vladimir Verbitsky, Christian Knapp, Miguel Harth-Bedoya, Eckehard Stier, Mikhail Gerts, Marios Papadopoulos, Valery Poliansky, Pavel Kogan, entre muitos outros.

Em 2001, gravou as três Sonatas para violino de Grieg com a pianista Olga Sitkovetsky para a DYNAMIC, com uma alta aclamação pela crítica. O seu recital em Cremona (Itália) com o violino de Paganini, foi gravado ao vivo pela FONE e foi lançado em 2003. O seu CD de Sonatas Francesas com a pianista Olga Sitkovetsky foi lançado pelas Trust Records em 2004; a Strad descreve-o como “… Um recital impressionante.”. O CD com o seu marido violinista/violetista Yuri Zhislin foi lançado em 2011 pela Naxos. O seu CD mais recente com obras de Prokofiev pela etiqueta ATOLL foi lançado em 2013 e reuniu comentários de 5 estrelas.

Natalia apresentou-se extensivamente como solista e como instrumentista de música de câmara em locais de prestígio em Londres, nomeadamente no Wigmore Hall, na Purcell Room, no Kings Place, no Queen Elizabeth Hall, no Palácio Buckingham, no Barbican e no Royal Festival Hall. Tem realizado concertos de música de câmara com músicos distintos como Gidon Kremer, Yuri Bashmet, o falecido Boris Pergamenschikov, Tabea Zimmerman, Dmitry Sitkovetsky, Schlomo Mintz, Daishin Kashimoto, Natalie Clein, Nicholas Daniel, entre muitos outros. Realizou várias gravações de rádio e de TV, tendo-se apresentado em diversos países, tais como: a Grã-Bretanha, Itália, França, Alemanha, Finlândia, Rússia, Polónia, Espanha, EUA, Brasil, Porto Rico, Argentina, Singapura, Japão, Austrália e Nova Zelândia.

Em 2010, Natalia Lomeiko foi nomeada Professora de violino na Royal College of Music, em Londres e é concertino da Oxford Philomusicadesde 2011.

Compositor: João Victor Costa

Nascido a 24 de Abril de 1939, na Freguesia do Estreito de Câmara de Lobos.

Frequentou durante 9 anos o Seminário Diocesano do Funchal, onde desenvolveu o gosto pela música, dedicando-se desde muito jovem à composição e estudo de órgão. Frequentou a Academia de Música e Belas Artes da Madeira, onde lecionou Canto e Piano. Recebeu a Bolsa de Estudo “Calouste Gulbenkian” e foi estudar para Munique, aprofundando os seus conhecimentos na Ópera, Lied, Oratória e Composição.

Seguiram-se os seus primeiros contratos, nomeadamente nos festivais de Verão de Munique, uma “tournée” em Israel, 23 viagens com concertos a bordo de grandes cruzeiros alemães. Na Ópera estadual de Augsburgo esteve contratado diversos anos consecutivos, desempenhando papéis principais em óperas como: “il Trovatore” de J. Verdi, “La Bohéme” e “Tosca” de Puccini, entre outras. Atuou também no “Scala de Milão”.

Aquando do seu regresso para a Madeira, foi professor de Canto no Conservatório – Escola das Artes da Madeira, onde foi também diretor.

Ao longo de todo o seu percurso nunca deixou de compor, desenvolvendo um estilo muito próprio, sem sujeitar-se aos ditames da moda. É autor do Hino da Madeira e de outros 16 hinos para diversas instituições na Madeira e não só.  É autor da 1ª Oratória em Português e o criador de uma Laudatória sobre a vida de “Mary Jane Wilson”. Compôs mais de cem canções eruditas, das quais se destacam 13 Sonetos de Camões.

Já estreado, tem um concerto para Piano e Orquestra. Além deste, compôs outros três concertos para Piano e Orquestra e, ainda, um concerto para Violino e Orquestra de Cordas.

É também autor de 7 quartetos de corda, de uma Sinfonia, de um grande “Requiem”, 27 lamentações de Semana Santa, inúmeras peças de Natal, cerca de 60 missas para 3 e 4 vozes mistas. Motetos e cânticos diversos para ofícios religiosos, 1 “Slabat Mater” a 4 vozes mistas em Português. Autor de 20 “Pai Nossos” e 18 “Ave Marias”, diversas sonatas para Piano-solo, Piano e Violino, e ainda, 1 outra sonata para violoncelo e piano.

Em parceria com o “Funchal 500 anos”, foi gravado um CD com obras para Piano, sendo todas as obras de sua autoria.

Criou cerca de 9 coros e 4 vozes mistas, espalhados pela Região e é atualmente o diretor artístico de 2 desses coros, o Coro da Catedral e o Grupo Coral de São Roque do Faial.

De referir que, no passado, diversas obras de sua autoria já foram interpretadas pela Orquestra Clássica da Madeira.