‘Desobriga’ ainda é prática nalgumas igrejas madeirenses

DesobrigaSabe o que é a ‘Desobriga’? É uma espécie de descargo de consciência para quem quiser comer carne na Páscoa, sobretudo na Sexta-feira Santa.

A Igreja aceita um donativo e o fiel sente-se ‘desobrigado’. Paga a bula e come carne na Sexta-feira Santa.

Quem não quer pagar a bula então segue a tradição e, na Sexta-feira Santa, come sopa de agrião… sem carne.

A ‘Desobriga’ ainda continua as ser uma prática em muitas das 94 paróquias da Madeira.

Trata-se do cumprimento de um preceito quaresmal. Aliás, noutros tempos, a renúncia a comer carne estendia-se a todas as sexta-feiras do tempo pascal.

Ao fazer quitação, o fiel e/ou o seu agregado familiar isenta-se da obrigação de não comer carne.

A nível nacional, a ‘Desobriga’  é confundível com a ‘Côngrua’ que é um tributo anual dado pelos fiéis para o sustento da paróquia/padre.

Claro que na nota de quitação da ‘Desobriga’, pode haver também outros contributos como por exemplo para o fundo do culto, para as necessidades da Diocese ou para as despesas da paróquia.

Noutras paróquias, a renúncia à carne tem um sentido mais abrangente. Trata-se de fazer abstinência, de jejuar, de fazer penitência, de renunciar a coisas que nos dão prazer e de experimentar a ausência.

Também se chama ‘Desobriga’ às confissões quaresmais. Aliás, a confissão é o momento de libertação dos vícios, dos pecados para acolher Cristo na comunhão.