Albuquerque “farto de jogadas” e de “moços de recados” apresenta terça-feira medidas de apoio aos trabalhadores

O Governo Regional vai apresentar, já na próxima terça-feira, medidas de apoio social aos trabalhadores madeirenses. É a consequência da aprovação, hoje na Assembleia da República, de dois diplomas que permitem, à Região, financiar-se junto da banca e adiar o pagamento das prestações do PAEF.

Albuquerque revelou que “o empréstimo líquido será de 300 milhões de euros” e relativamente ao apoio aos trabalhadores, disse que a ideia é complementar o diferencial da “lay-off” no montante até 1300 euros”.

Miguel Albuquerque garantiu que, neste momento, a Região vai iniciar consultas às instituições bancárias para a operação de financiamento e na próxima terça-feira vamos apresentar medidas. Não podemos admitir que duas decisões aprovadas na Assembleia da República sejam postas em causa.

O presidente do Governo Regional adiantou que aquilo que a Madeira pediu à República “não era nada de extraordinário, mas ficámos três meses à espera de resposta do primeiro- ministro. Não pedimos nenhum favor, o que pedimos foi uma autorização para nos financiarmos com recursos próprios. Em segundo lugar, também nada de extraordinário, foi o que o Governo já fez para as empresas e particulares, as moratórias para adiarmos os pagamentos das prestações do PAEF”.

Miguel Albuquerque mostrou-se satisfeito com a aprovação, em sede da Assembleia da República, das propostas da Madeira nesse sentido, mas lamentou a postura de alguns socialistas a quem chamou de “moços de recados do Governo Nacional, alguns deles fazendo figuras tristes na Madeira. Estou farto de jogadas, andei aqui há três meses à espera de resposta do primeiro-ministro, é preciso respeitar os poderes das Regiões nem as Autonomias”.

Albuquerque disse, ainda, que o Presidente da República “não adiantou nada, disse que estava a acompanhar o estado de emergência, mais nada”.