ISAL promove conversa online a 24 de abril sobre a Liberdade com Violante Saramago Matos

O Instituto Superior de Administração e Línguas – ISAL apresenta no próximo dia 24 de abril, pelas 21h00, “noite da revolução de abril” um seminário, realizado por videoconferência, que terá como oradora convidada, Violante Saramago Matos.

O objetivo principal desta iniciativa é conceder aos alunos um testemunho pessoal e abordar em conferência o regime ditatorial que ficou conhecido por “Estado Novo”, sensibilizando para a contínua necessidade da defesa dos princípios da Liberdade e da Democracia. A moderação estará a cargo de Sancha de Campanella, Vice Diretora Geral do ISAL.

Estes são conteúdos programáticos de História de Portugal e foram já mote para a realização de trabalhos de grupo de investigação no âmbito desta unidade curricular, ministrada por Diogo Goes, docente do ISAL. A iniciativa dirigida aos estudantes do ISAL é também dirigida a toda comunidade, pelo que a organização disponibiliza deste modo o acesso livre e gratuito.

Os interessados em participar no seminário deverão se inscrever por via online, através dos emails isal@isal.pt ou joana.martins@isal.pt, a fim de ser disponibilizado o acesso à plataforma Zoom.

Este é o segundo ano que, Violante Matos, Bióloga, Professora, Escritora, Pintora e Política vem partilhar as suas memórias e experiências junto da comunidade educativa do ISAL, demonstrando a responsabilidade social das instituições do ensino superior, na formação integral do ser humano, para a cidadania e para a defesa dos princípios e valores de Estado de Direito democrático e para a construção de uma sociedade livre e mais justa.

Violante Saramago Matos é filha da pintora Ilda Reis e do Nobel da Literatura José Saramago. Nasceu em 1947, no mesmo ano em que seu pai publicou o seu primeiro livro. Licenciada em Biologia pela Faculdade de Ciências de Lisboa. Entre 1975 e 1988, foi professora do ensino secundário no Cacém e no Funchal.

Como escritora publicou vários livros, nomeadamente vários contos infantis “Quinas pelo mar fora!” e “Tixa a presidente!”. Como pintora conta com várias dezenas de exposições individuais e coletivas em todo o país e estrangeiro. De destacar a sua mais recente exposição individual no Instituto Português de Santo António em Roma.

A sua militância política, iniciou-se nos movimentos estudantis contra a “ditadura”, sendo presa pela PIDE no 1º de Maio de 1973. Ficou detida na prisão política em Caxias durante três meses, de onde saiu sem culpa formada. Nos anos 60 fez parte do Movimento Associativo dos Estudantes do Ensino Secundário de Lisboa; entre 1969 e 1974 foi dirigente da Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências de Lisboa, trabalhou com os Comités de Luta Anti-Colonial e participou nas manifestações e lutas estudantis contra a ditadura, a guerra colonial e a guerra do Vietname. Passou pelo PCTP-MRPP.

Foi eleita como independente pelas listas do Partido Socialista e foi dirigente regional do Bloco de Esquerda. Foi mandatária regional das candidaturas de Manuel Alegre e do Professor Doutor Sampaio da Nóvoa, à Presidência da República. Na sua atividade política veio a destacar-se pela sua independência face aos partidos políticos.

Foi deputada à Assembleia Legislativa Regional da Madeira (1996-2000) e Vereadora da Câmara Municipal do Funchal (1997-2001). É atualmente Presidente da Assembleia de Freguesia do Imaculado Coração de Maria.