Executivo da CMF diz que acusações do PSD são “absolutamente falsas”

O Executivo da Câmara Municipal do Funchal veio hoje desmentir as declarações da vereadora Paula Menezes, do PSD, que, após a reunião de Câmara de hoje, acusou o actual Executivo de não ter dado seguimento à atribuição de um subsídio de risco ao pessoal da recolha e manuseamento de resíduos.

“Isto é absolutamente falso”, garante a CMF, “e cabe-nos informar que, na Reunião de Câmara de hoje, foi efectivamente aprovada, com os votos favoráveis da Coligação Confiança, uma proposta de deliberação, apresentada pelo PSD e com alterações propostas na própria reunião, intitulada “Atribuição de Subsídio de Risco aos Trabalhadores da Recolha e Manuseamento de Resíduos da autarquia”, como se poderá comprovar facilmente na respectiva acta da reunião”.

“O actual Executivo aprovou, desta forma, uma deliberação apresentada pelo próprio PSD e que visa precisamente implementar o mais rapidamente possível o pagamento destes subsídios aos trabalhadores da CMF, com a ironia dos vereadores do partido em causa recusarem-se a votar a sua própria proposta, o que não impediu a sua aprovação”, refere uma nota.

O Executivo da Câmara Municipal do Funchal lamenta, pois “uma vez mais, a falta de seriedade e a desinformação instigada semanalmente pela Vereação do PSD nesta edilidade junto dos órgãos de comunicação social, reforçando que a saúde e a segurança no trabalho têm sido uma prioridade para este Executivo ao longo dos últimos anos, como se comprova, por exemplo, pela implementação, em 2016, e pela primeira vez na História da Câmara do Funchal, de um Serviço de Saúde no Trabalho para todos os funcionários da Autarquia, aliado à melhoria generalizada das condições de trabalho, com a beneficiação de múltiplos serviços nos Paços do Concelho e não só, incluindo uma nova cantina, acessível a todos os trabalhadores”.