JPP denuncia no Caniço que o Governo Regional discrimina a localidade

O JPP esteve hoje em contacto com a população do Caniço para acusar o Governo Regional de “ausência de acção” e de manter  “uma atitude de discriminação para com a localidade. A acusação foi de Rafael Nunes, na acção política desenvolvida esta manhã, junto à loja do munícipe.

O vice-presidente do grupo parlamentar do JPP sublinhou, a propósito, a aprovação de uma Resolução da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, de 2016, que “foi aprovada por unanimidade”, no sentido de “instalar uma extensão da repartição de finanças de Santa Cruz, aqui no Caniço”.

Rafael Nunes recordou que o “Caniço é a maior cidade do concelho de Santa Cruz, com mais de 23 mil habitantes que têm de se deslocar ao centro do Funchal ou ao centro de Santa Cruz para tratar dos seus assuntos de matéria fiscal”.

“A Câmara Municipal de Santa Cruz disponibilizou, de imediato, um local na loja do Munícipe, a título gratuito, sem qualquer custo para o Governo Regional, de forma a agilizar o processo e garantir esta política de proximidade que se exige dos governantes políticos”, mas “sem qualquer reposta por parte do Governo”, queixou-se.

Por isso, o JPP exige ao Governo Regional que cumpra com os habitantes do Caniço, nomeadamente com os serviços de finanças”, agindo em concordância com aquilo que são as suas funções e competências, em prol da população”.