ETAR do Funchal é “sala de chuto”

Fotos Paulo Brito.

É um mau cartaz turístico da cidade.

Há planos para mudar a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) para outro local.

Enquanto tal não acontece a degradação é visível e a ETAR do Almirante Reis, em plena Zona Velha da Cidade, serve, até, de “sala de chuto” para os toxicodependentes.

O edifício da ETAR do Funchal está em mau estado de conservação.

É visível a falta de manutenção e cuidado. 

Quem gosta de um passeio à beira mar dá de caras com o cenário: Tinta a “descascar”, reboco do edifício a cai aos pedaços e ferros à vista.

Mesmo ao lado de um dos melhores hotéis da cidade e junto do teleférico.

A zona é frequentada por toxicodependentes que utilizam o espaço coberto do edifício para pernoitar e para manter o vício, mesmo à luz do dia.

Estes e outros, designadamente sem-abrigo, utilizam o espaço até para fazer as suas necessidades fisiológicas, deixando na área envolvente um cheiro nauseabundo a fezes e urina.